Coronavírus: Depois da facada, não vai ser uma 'gripezinha' que vai me derrubar, diz Bolsonaro

Bolsonaro não respondeu se divulgará os exames que, segundo ele, atestaram negativo. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) evitou responder se divulgará os exames que teriam atestado negativo para o novo coronavírus. Ao final da coletiva nesta sexta-feira (20), Bolsonaro se referiu à Covid-19 como uma “gripezinha”.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

“Depois da facada, não vai ser uma 'gripezinha' que vai me derrubar”, disse Bolsonaro, após ser questionado se abriria publicamente os resultados dos dois exames já feitos até agora.

Leia também

O presidente também não descartou a necessidade de fazer um terceiro teste. “Posso me submeter a outro exame, de acordo com orientação médica”, afirmou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A saúde de Bolsonaro vem sendo alvo de especulação depois que pelo menos 22 pessoas que tiveram contato com o presidente durante uma viagem aos Estados Unidos e que testaram positivo para a doença. Nos últimos dias, Bolsonaro anunciou que se submeteu a dois exames e que ambos deram negativo para a covid19.

Nesta sexta, o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil tem 904 casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Até esta quinta, eram 621 confirmações. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença já infectou 209 mil pessoas e matou 8,7 mil.

O balanço, que tinha dados passados pelas secretarias estaduais de saúde até 16h, somava 11 mortes no país, das quais 9 ocorreram em São Paulo e 2 no Rio de Janeiro. Os dois estados são os que mais concentram os casos confirmados de Covid-19 no Brasil. São 345 casos no estado de São Paulo, e 109 no estado do Rio.