Coronavírus: Doria não descarta endurecer quarentena em SP caso isolamento social caia

·3 minuto de leitura
Little pedestrian movement, some wearing safety masks, and closed commercial establishments on Avenida Paulista, in the central region of the city of São Paulo, on March 25, 2020. Second day of quarantine in the 645 municipalities of the state determined by Governor João Doria, the measure requires the closing of trade and maintains essential services, such as the areas of health, food and security. The quarantine runs until April 7, and can be extended. March 25, 2020. (Photo: Fábio Vieira/FotoRua) (Photo by Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
Índice de isolamento social subiu de 47% para 59% no último final de semana, segundo governo de SP. (Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não descartou o endurecimento das medidas restritivas caso os índices de isolamento no estado voltem a cair durante a pandemia do novo coronavírus no país.

“Não havendo uma resposta da população, caso os índices de isolamento abaixem, não hesitaremos em adotar medidas restritivas de maior grau se for necessário. Nossa visão é proteger vidas, a proteção da economia virá na sequência”, alertou Doria.

Leia também

Na segunda-feira (13), o governo havia anunciado um crescimento na taxa de isolamento social, de 47% para 59%. O pico ocorreu neste domingo de Páscoa (12), segundo dados do Simi-SP (Sistema de Monitoramento Inteligente).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O percentual de distanciamento social ideal desejado pelo governo João Doria é de 60%. Os índices de isolamento social são medidos pelo sistema que utiliza a geolocalização dos celulares monitorados pelas quatro principais operadoras de telefonia.

Os novos dados do isolamento social de segunda-feira serão consolidados nesta tarde, segundo Doria, e apresentados na coletiva de quarta-feira (15).

A ameaça do governador por intensificar a quarentena aconteceu durante a coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira (14) no Palácio dos Bandeirantes, na qual Doria anunciou a chegada de mais 725 mil testes para a Covid-19.

Doria afirmou que essa é uma primeira parte de um lote que totaliza 1,3 milhão de testes, adquiridos junto à Coreia do Sul por um custo de R$ 85 milhões. Outros 575 mil testes deverão chegar ao estado até o dia 25 de abril, e serão distribuídos para uma rede de testes com 34 laboratórios, todos coordenados pelo Instituto Butantan.

O objetivo do governo é aumentar a capacidade atual de 2 mil testes por dia para 5 mil por dia a partir do dia 24. A partir de 18 de maio, serão 8 mil testes por dia, segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

FILAS DE TESTE

Covas afirmou que, no momento, há uma fila de 15,6 mil testes aguardando resultado, dos quais 12 mil já foram distribuídos para a rede para realização. “Essa aquisição da Coreia vem em momento oportuno e com esse volume que será de 1,3 milhão nos garante essa política de testagem até junho, julho”, acrescentou Dimas Covas.

O governo também anunciou a compra mais 18 milhões de máscaras, sendo 15 milhões de máscaras cirúrgicas e outras 3 milhões do tipo N-95, destinadas aos profissionais de saúde que trabalham em ambientes com alto risco de contaminação. As máscaras foram compradas da China ao custo de R$ 63 milhões.

O estado contabiliza 8.895 casos confirmados de coronavírus e 608 mortes. Segundo o secretário de Saúde, José Henrique Germann, o estado também possui 1.878 pessoas internadas com confirmação de Covid-19. “Desse total de pacientes, praticamente 50% está em leitos de UTI e outros 50% nas enfermarias”, completou o secretário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos