Coronavírus: 83% dos países mais afetados adotaram 'lockdown', diz pesquisa

(Foto: Reuters)

Levantamento que mostra ações de países para combater o novo coronavírus mostra que em 24 das nações mais afetadas, 20 deles (83%) adotaram "lockdown" e três (13%) o isolamento vertical, que é a restrição de circulação de pessoas no grupo de risco para a Covid-19. No Brasil, 86 milhões de pessoas estão nesta situação. O presidente Jair Bolsonaro é favorável a esse último modelo.

A análise é do Mapa Covid-19, da Fundação Getúlio Vargas, e não inclui as ações do Brasil. O levantamento analisa dados da África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, China, Colômbia, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Irã, Israel, Itália, Japão, Líbano, México, Nova Zelândia, Reino Unido, Rússia, Singapura, Suécia e Turquia.

Leia também

Os países que adotaram o fechamento total das atividades foram África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, China, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Irã, Israel, Itália, Líbano, México, Nova Zelândia, Reino Unido, Rússia e Singapura.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Já o lockdown foi implementado no Brasil em regiões como São Luis, interior do Amazonas, Belém e mais de 30 cidades de Tocantins.

Os que fizeram isolamento vertical são Coreia do Sul, Suécia e Turquia (leia mais abaixo). O 24º país da lista, o Japão, adotou recomendação de isolamento, mas sem ato normativo e, portanto, não entrou em nenhuma destas classificações.

O estudo também apontou que 92% dos países adotaram medidas como alocação de recursos públicos em atividades de pesquisa científica ou produção de bens ou serviços para enfrentar a pandemia.

Além disso, o levantamento aponta que:

  • 96% adotaram medidas de estímulo a empresas, produção de pesquisas, e de bens e serviços;

  • 88% adotaram políticas de transferência de renda;

  • 79% reduziram ou alteraram tributos;

  • 29% fizeram intervenção na propriedade privada (como quebra de patentes ou requisição de serviços).

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.