Coronel da Aeronáutica é acusado de racismo: 'nos chamou de orangotangos'

Acusado de racismo contra jovens, Mário Pessanha é militar da reserva da Aeronáutica — Foto: TV Globo/Reprodução
Acusado de racismo contra jovens, Mário Pessanha é militar da reserva da Aeronáutica — Foto: TV Globo/Reprodução

Ellen Pereira, de 23 anos, e Gabriel Carvalho, de 21, acusam o coronel da reserva da Aeronáutica Mário Rogério Gomes Pessanha, de 52 anos, de racismo e injúria racial em um bar de Brasília. A Polícia Civil do Distrito Federal investiga o caso.

Segundo eles, o coronel teria os chamados de "orangotango" e "chimpanzé".

O episódio aconteceu na noite da última quinta-feira (14) e parte das agressões foi filmada por uma das vítimas.

O coronel também é secretário de finanças do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Os jovens afirmam que foram atacados após oferecerem ajuda a uma mulher que estaria sendo importunada pelo militar. Segundo os relatos, ela estava sentada sozinha no bar. Ao perceberem a situação, Ellen e Gabriel ofereceram ajuda à mulher.

Eles afirmam que o coronel estava insistindo para que a mulher bebesse com ele.

Ainda de acordo com eles a mulher estava incomodada e foi ao banheiro, quando voltou se sentou com os jovens. O casal de amigos disse ainda que o homem insistiu em atrapalhar a conversa deles. Ao ser ignorado pelos três, ele partiu para as ofensas.

“Ele disse que era macho-alfa e, quando via uma fêmea sozinha, tinha de ir lá. Disse que tinha estudo e nós, não; que era coronel, que tinha influência na política, e que, para ele, éramos dois chimpanzés, dois orangotangos”, contou Ellen.

Gabriel contou que o homem falava alto para tentar inibir os jovens no bar.

"Ele estava gesticulando bem alto para que outras pessoas também ouvissem, querendo nos diminuir. Só que no momento fiquei calado. Não sabia como reagir. Ele praticou racismo com a gente. A gente não deveria ter sofrido isso", conta o jovem.

O coronel ainda disse que os jovens não tinham estudo, segundo Ellen.

"Ele falou que era coronel, que tinha estudo, coisa que a gente não tinha", afirma.

As ofensas só encerraram quando um segurança do bar abordou o homem e depois de perceber que estava sendo filmado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos