Coronel uruguaio procurado por crimes contra a humanidade é preso na Espanha

·1 minuto de leitura
O coronel uruguaio Eduardo Augusto Ferro Bizzozer, acusado de tortura por organizações de direitos humanos, é visto perto do tribunal de Montevidéu em 5 de dezembro de 2007

O coronel uruguaio Eduardo Ferro, procurado em seu país por crimes contra a humanidade cometidos durante a ditadura, foi preso na Espanha, informaram fontes policiais nesta quinta-feira (28).

Ferro foi detido em uma operação conjunta com a Interpol em Peñíscola, no leste da Espanha, explicou a polícia espanhola em um comunicado.

A detenção se deve a uma "ordem de captura e prisão" emitida pela Audiência Nacional, um tribunal superior com sede em Madri com jurisdição sobre questões de extradição.

Essa ordem, por sua vez, foi emitida “em virtude do pedido das autoridades uruguaias de cooperação internacional” para a localização do coronel aposentado e sua posterior extradição para ser processado, acrescentou a polícia.

O detido foi levado à justiça e preso em Vinaroz, perto de Peñíscola. Ele teria sido um dos responsáveis no Uruguai pela Operação Condor, realizada pelas ditaduras latino-americanas nas décadas de 1970 e 1980 para aniquilar brutalmente a oposição de esquerda.

Ferro é suspeito de crimes de detenção ilegal, tortura e desaparecimento de jovens opositores durante a ditadura no Uruguai, entre 1973 e 1985.

avl/mb/ic