Corpo de Bombeiros simula acidentes de automóveis em evento neste fim de semana

O Corpo de Bombeiros do Rio (CBMERJ) participa neste fim de semana do III Desafio Estadual de Salvamento Veicular, que simula os acidentes e primeiros-socorros aos feridos. O objetivo do evento é buscar aprimorar o serviço operacional de resgate em um país em que, segundo o DATASUS, registra mais de 30 mil mortes em acidentes de trânsito por ano. Dados do Sistema de Gestão mostram que no ano passado foram cerca de 56 mil registros de colisões, atropelamentos, quedas de veículos e capotagens. Neste ano, nos primeiros cinco meses, já houveram mais de 23 mil ocorrências.

Avaliando habilidades e competências exercidas pelos comandantes das ocorrências, critérios como planejamento das ações, liderança do grupo e comunicação eficiente, as seletivas acontecem, desde o âmbito regional até o internacional, para aprimorar as práticas de resgate de vítimas presas as ferragens.

— Essas competições simulam acidentes de automóveis com feridos encarcerados. Os militares precisam liberar as vítimas com a maior segurança e no menor tempo possível. Para isso, seguem os mais modernos protocolos operacionais de salvamento veicular, alinhados com as recomendações da Organização Mundial de Resgate (WRO) — explicou o major Fábio Contreiras, porta-voz do CBMERJ e um dos organizadores do III Desafio Estadual de Resgate Veicular.

O evento gratuito e aberto ao público será realizado nos dias 11 e 12 de junho, das 8h às 18h, no Riocentro (Av. Salvador Allende, 6.555, Jacarepaguá). A estimativa é que 120 bombeiros participem, a disputa na fase final definirá os representantes brasileiros no desafio mundial.

— Os exercícios contribuem para que os profissionais desenvolvam pensamento rápido e trabalho em equipe. Os treinamentos são árduos e fazem desses militares verdadeiros atletas de alto rendimento, integrando preparo físico, técnico e psicológico. Cada vez que a equipe pratica, aperfeiçoa o atendimento nas ruas. Cada vez que simula um socorro, reduz o tempo-resposta na prática. Quem ganha é a população, a sociedade — destacou o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ, coronel Leandro Monteiro.

A competição é feita com provas de tempo máximo de trinta minutos, de maneira segura. A organização projeta cenários complexos para as equipes fazerem os resgates das vítimas. São avaliados habilidades e competências exercidas pelos comandantes das ocorrências, levando em consideração o planejamento das ações, liderança do grupo e comunicação entre eles. Ao final, são apontados os aspectos de cada equipe e um relatório entregue aos militares.

Atualmente o Corpo de Bombeiros do Rio segue as orientaçãos internacionais de Salvamento Veicular. Este ano foi atualizado o Protocolo Operacional Padrão (POP), que serve como base de atuação para ocorrências com vítimas.

— Hoje, o CBMERJ pratica as táticas e técnicas de resgate mais atuais do mundo. A cada revisão dos procedimentos, os socorros ficam mais eficientes e mais seguros para as vítimas e para os profissionais que atuam na ponta — concluiu o comandante-geral.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos