Corpo do ex-vereador Zezinho do PT, morto a tiros, é enterrado em Jandira (SP)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O corpo de Reginaldo Camilo dos Santos, 51, o Zezinho do PT, foi enterrado na tarde deste sábado (29) em Jandira, na região metropolitana de São Paulo.

Vereador por três mandatos no município, de 2005 a 2016, ele foi morto a tiros por volta das 17h30 de sexta-feira (28) na rua Francisco Tomaz da Silva, no Jardim Gabriela.

Segundo boletim de ocorrência, o crime ocorreu perto da casa do ex-vereador. Ele estava com uma pessoa em um Ford Ka e iria fazer uma visita. Logo após estacionar, um veículo preto passou pela rua e dois disparos foram efetuados de dentro do carro, "que acertaram a vítima de forma fatal".

O autor dos disparos fugiu. A polícia disse que não foi possível encontrar estojos de munição no local do crime.

O caso foi registrado como homicídio pela delegacia de Jandira e encaminhado ao Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) da Seccional de Carapicuíba, cidade vizinha, que instaurou inquérito para apurar o crime.

"Diligências são realizadas em busca de elementos que auxiliem na identificação da autoria", afirmou neste sábado (29) a Secretaria da Segurança Pública, em nota.

Zezinho do PT era uma liderança política popular em Jandira. Depois dos três mandatos na Câmara Municipal, ele tentou se eleger prefeito, mas sem sucesso. Neste ano, concorreu ao cargo de deputado federal. Com 8.858 votos, não se elegeu.

O corpo do ex-vereador foi velado durante parte do dia no ginásio de esportes Jardim Brotinho e, por volta das 16h, foi enterrado no Cemitério Municipal de Jandira. No cortejo, havia pessoas com bandeiras do PT e da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que neste domingo disputa o segundo turno da eleição presidencial com Jair Bolsonaro (PL).

No enterro, houve gritos de "Partido dos Trabalhadores", além de aplausos.

O velório e o sepultamento reuniram políticos, principalmente do PT, e moradores do município da grande São Paulo.

Os deputados Emidio de Souza (estadual) e Carlos Zarattini (federal), ambos do PT, fizeram breves discursos no velório, a pedido do vereador Fábio Camilo dos Santos, o Fábio Betera (PT).

Irmão de Zezinho do PT, Fábio estava bastante emocionado e a todo instante pedia por Justiça.

Souza cobrou agilidade nas investigações e que o crime não fique impune. Ele lembrou do histórico de mortes de políticos em Jandira. Em dezembro de 2010, o prefeito Walderi Braz Paschoalin (PSDB) foi morto a tiros em frente a uma rádio. Os disparos acabaram ouvidos ao vivo na programação da emissora.

Quase dez anos depois, em março de 2020, Rosemildo da Silva, que era diretor de obras da prefeitura, acabou assassinado, também disparos de arma de fogo, enquanto caminhava para o trabalho.

Souza disse que conversou com direção nacional do PT e com Lula. De acordo com a assessoria do deputado estadual, Lula mandou uma mensagem para a família do ex-vereador assassinado.

Em suas redes sociais, Simão Pedro (PT) ex-secretário de Serviços da gestão Fernando Haddad (PT) na Prefeitura de São Paulo, que foi eleito deputado estadual na eleição do último dia 2, escreveu que Zezinho do PT "era uma pedra no sapato dos corruptos".

"Um crime encomendado", escreveu Simões, que volta à Assembleia Legislativa para seu quarto mandato (o último foi em 2010).

"Quando eu exercia a função de de deputado e ele de vereador, denunciamos e desmantelamos ao MP [Ministério Público] e ao TCE [Tribunal de Contas do Estado] muitos esquemas de desvios da saúde", publicou.

O diretório paulista do PT lamentou a morte do militante, no início da noite desta sexta. "Chega de violência, o Brasil clama por justiça e paz", afirma postagem feita em uma rede social.

Também em redes sociais, a Prefeitura de Jandira publicou uma nota de pesar. No texto, a administração de Henri Hajime Sato, o dr. Sato (PSDB), diz que além da mãe, Zezinho do PT deixa vários familiares e amigos, "que encontram-se desolados diante do trágico acontecimento".

Na tarde desta sábado, a #zezinhopresente tinha mais de cem publicações no Instagram e no Facebook.