Corpo de irmão de Kim Jong-Un é repatriado à Coreia do Norte

(Arquivo) Kim Jong-Nam

O corpo de Kim Jong-Nam, o meio-irmão assassinado do líder norte-coreano, Kim Jong-Un, foi repatriado a Pyongyang, anunciou nesta sexta-feira o governo da China, país pelo qual o caixão enviado pela Malásia transitou durante a noite.

"O corpo do cidadão norte-coreano que morreu na Malásia (...) foi repatriado hoje via Pequim", anunciou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Lu Kang.

O cadáver de Kim Jong-Nam, assassinado em 13 de fevereiro no aeroporto de Kuala Lumpur após anos de rivalidade com seu meio-irmão, deixou a Malásia rumo à China.

A repatriação do corpo constitui um epílogo à crise de um mês e meio entre a Malásia e a dinastia dos Kim.

Kim Jong-Nam, muito crítico ao seu meio-irmão, vivia no exílio quando foi envenenado com VX, um agente nervoso, uma operação que lembra os assassinatos por encomenda durante a Guerra Fria.

Seul culpou Pyongyang por sua morte, mas a Coreia do Norte negou estas acusações e nunca confirmou a identidade do homem, que tinha um passaporte com o nome de Kim Chol quando foi atacado.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, anunciou que nove malaios retidos na Coreia do Norte foram autorizados a voltar para a Malásia, apaziguando a crise política.