Corpo do motorista que morreu à porta de hospital no Rio será enterrado nesta quarta-feira

Rafael Nascimento de Souza
·1 minuto de leitura

RIO — O corpo do motorista de aplicativo Alexandre Jorge Monteiro de Sousa, de 40 anos, que dirigiu ferido até poucos metros da entrada do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), na Zona Norte do Rio, onde morreu após ser esfaqueado no fim da noite de segunda-feira, será enterrado no começo da tarde desta quarta-feira. O sepultamento ocorrerá no Cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio. Segundo o pai, o gerente de restaurante Lourival Jorge de Sousa, 65, as últimas homenagens ao filho começarão por volta de 12h. O sepultamento está marcado para as 13h45m.

A Polícia Civil investiga o motivo da morte de Alexandre. A principal linha de investigação dos agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) é que o motorista sofreu uma tentativa de latrocínio — roubo seguido de morte. Nenhum pertence da vítima foi levado. Na tarde de terça-feira, policiais da especializada recolheram imagens de câmeras de segurança que possam identificar o autor do crime. Nos próximos dias a DHC vai ouvir testemunhas.

Após dirigir por quase três quilômetros, em busca de atendimento médico na emergência do HFB, o motorista ficou no local por pouco mais de uma hora, mas não foi socorrido, apesar dos seguranças terem visto o veículo, que chegou na contramão, parado, com os vidros abertos. O hospital informou que "vai abrir uma sindicância pra apurar a conduta dos seguranças".