Corpo de turista argentino morto por espancamento no Rio é liberado pelo IML

Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil

O corpo do turista argentino Matías Carena, de 28 anos, que morreu vítima de espancamento após uma briga na saída do bar e restaurante Barzin, em Ipanema, na zona sul do Rio, na madrugada de domingo (26), foi liberado hoje (27) pelo Instituto Médico-Legal (IML). A transferência para a Argentina ainda está sendo preparada pela família com apoio do consulado argentino na capital fluminense. Parentes do turista e integrantes do consulado estiveram nesta segunda-feira na Delegacia de Homicídios da Capital (DH), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

De acordo com o delegado titular da DH, Fábio Cardoso Júnior, Matías Carena morreu por causa de uma pancada. O turista levou um soco no rosto, caiu e bateu com a cabeça em um degrau de uma loja do outro lado do bar, para onde tinha ido tentando escapar da confusão. “A necrópsia feita no corpo da vítima aponta que a causa mortis foi uma contusão no crânio”, disse.

Testemunhas contaram que o argentino foi agredido mesmo caído no chão. Levou chutes e golpes até de muleta de um dos agressores. Apesar de ser levado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, zona sul do Rio, ele chegou morto na unidade.

A briga que terminou com a agressão envolveu argentinos e brasileiros, que fizeram provocações e deboches por causa de reclamações do grupo que acompanhava Matías sobre o preço da conta cobrada pelo bar. “A investigação aponta que os agressores são pessoas que  costumam frequentar este bar, ou seja, são conhecidos do bar. Então, por isso, também, é que as provas criminais e as imagens de câmera de segurança estão dando uma indicação muito forte de que a DH vai dar uma resposta rápida, eficaz e eficiente neste crime, nesta investigação”, disse o delegado.

Ontem na sua página no Facebook, o clube de futsal argentino Circulos Unidos G.O.N. publicou uma nota em que informava a morte de Matías “com uma profunda dor”. O argentino era jogador da 1ª divisão de futsal do clube, que classificou ainda como confuso o episódio no Rio de Janeiro. “Nossa instituição permanecerá fechada e decreta 48 horas de luto”.

O clube relembrou também a chegada do argentino à agremiação. “Matias veio ao clube com uma mochila cheia de ilusões e nas suas merecidas férias uns assassinos lhe arrancaram a vida. Só pedimos a todos que partilhem a publicação para pedir #justiciapormatias”, concluiu a nota.