Corpo de vendedora morta a facadas em São Gonçalo será enterrado nesta quarta-feira

·2 minuto de leitura

O corpo da vendadora Ana Caroline Pereira Lopes Felício, de 29 anos, assassinada a facadas na madrugada dessa terça-feira, no bairro Vista Alegre, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, será liberado do Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, por volta das 9h. O sepultamento da mulher está previsto para as 12h, no Cemitério Parque da Paz, no bairro do Pacheco. A filha dela, de 5 anos, e os pais de Ana Caroline, de 63 e 65 anos, ficaram feridos no ataque. Eles foram levados para o Hospital estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo. A criança tem estado de saúde grave e os adultos se encontram com quadro estável. O suspeito do crime é um homem que estava se relacionando com Ana Caroline havia cerca de um ano. Marcus Vinícius Lemos Batista, de 42 anos, fugiu e é considerado foragido pela polícia, informou o delegado Mário Lamblet, da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI).

Na tarde de terça-feira, o aposentado Vicente Lopes de Carvalho, de 54 anos, disse ainda que a sobrinha já vinha recebendo ameaças do companheiro após tentar terminar o relacionamento.

– Às vezes as pessoas recebem uma ameaça e não acreditam. Foi assim com a minha sobrinha. Uma menina batalhadora e que trabalhava para sustentar a casa e as filhas. Só quero que esse homem pague pelo que fez – disse o aposentado.

Segundo Vicente, o Hospital estadual Alberto Torres (Heat) informou aos parentes que a mãe da jovem, de 63, deverá receber alta médica nas próximas horas. Já o pastor evangélico, de 65, teria tido uma piora no quadro clínico – já que perdeu muito sangue – e precisou ser transferido o Centro de Terapia Intensivo (CTI) da unidade médica. Não existe uma previsão de alta para o idoso.

A criança continua internada no CTI pediátrico do Heat. Segundo a direção do hospital, o estado da menina é gravíssimo. Ela está intubada.

Informações sobre o caso podem ser repassadas ao Disque-Denúncia de forma anônima pelo Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados, no telefone (21) 98849-6099; pela Central de Atendimento, no (21) 2253-1177; através do Facebook (mensagem inbox); e pelo aplicativo Disque-Denúncia RJ.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos