Corpos de crianças em malas na Nova Zelândia: suspeita é presa na Coreia do Sul

A mulher presa senta-se no carro da polícia coberta por um cobertor
A mulher foi presa em Ulsan, na Coreia do Sul, após semanas de busca

A polícia sul-coreana diz que prendeu uma mulher acusada de assassinar os dois filhos, que foram encontrados em malas na Nova Zelândia no mês passado.

Em um caso que chocou o país, os corpos foram descobertos por estranhos que compraram as malas abandonadas em um depósito na cidade de Auckland.

Acredita-se que os corpos tenham sido armazenados por alguns anos. A polícia coreana disse que as vítimas tinham 7 e 10 anos.

A Nova Zelândia solicitou a extradição da mulher da Coreia do Sul.

A polícia de Auckland disse ter trabalhado em estreita colaboração com as autoridades sul-coreanas na busca pela mulher, depois de dizer acreditar que ela estava no país asiático.

A mulher fugiu para a Coreia do Sul em 2018 após a morte das crianças, afirmou a polícia. Ela é uma neozelandesa de 42 anos de ascendência coreana.

Um mandado global da Interpol havia sido emitido para a prisão dela. Policiais a encontraram nesta quinta-feira (15/9) à meia-noite em um apartamento na cidade de Ulsan, no sudeste do país.

O local foi investigado depois que os agentes receberam dicas sobre o paradeiro dela, detalhou a agência da Polícia Nacional de Seul.

No mês passado, a polícia da Nova Zelândia divulgou que estava procurando a mulher depois que conseguiu identificar as crianças, cujos nomes ainda não são conhecidos.

"Ter alguém sob custódia no exterior em um período tão curto de tempo se deve à assistência das autoridades coreanas e à coordenação de nossa equipe da Interpol na Nova Zelândia", disse o inspetor da polícia Tofilau Fa'amanuia Vaaelua.

Polícia e investigadores em trajes de corpo se reúnem do lado de fora de uma casa suburbana onde as vítimas foram encontradas em malas
Investigadores forenses do lado de fora de uma casa localizada nos subúrbios de Auckland, onde os corpos foram encontrados no mês passado

A polícia solicitou que a suspeita do crime tenha fiança negada antes de sua extradição para a Nova Zelândia, onde ela enfrenta as acusações de assassinato.

A mídia local informou que a família viveu em Auckland por alguns anos e o pai morreu de câncer antes da morte das crianças. A imprensa também relatou que os avós das vítimas ainda vivem na Nova Zelândia.

Os corpos das crianças foram descobertos no início de agosto, depois que uma família comprou um lote de mercadorias, incluindo as malas, em um leilão online.

A família que descobriu os corpos não tinha ligação com as mortes e sofreu muito com a descoberta, disseram as autoridades.

- Este texto foi publicado em https://www.bbc.com/portuguese/internacional-62913346

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!