Correntes do Atlântico perdem força e assinalam grandes mudanças climáticas, diz estudo

·1 minuto de leitura
Estrada entre Saint-Jean-De-Luz e Hendaya, em Socoa, na França

Por Nina Chestney

LONDRES (Reuters) - O sistema de correntes do oceano Atlântico, um motor do clima do hemisfério norte, pode estar se enfraquecendo a tal ponto que em breve provocará grandes mudanças no clima mundial, alertou um estudo científico nesta quinta-feira.

A Circulação Meridional de Revolvimento do Atlântico (Amoc) é um sistema amplo de correntes oceânicas que transporta água quente dos trópicos para o Atlântico Norte.

Como a atmosfera se aquece devido às emissões maiores dos gases de efeito estufa, a superfície oceânica abaixo dela retém mais calor. Um possível colapso do sistema poderia ter consequências graves para os sistemas climáticos do planeta.

Modelos climáticos mostram que a Amoc nunca esteve tão fraca em mais de 1 mil anos, mas não se sabe se o enfraquecimento se deve a uma mudança na circulação ou se tem a ver com a perda de estabilidade.

O estudo, publicado no periódico científico Nature Climate Change, disse que a diferença é crucial.

"A perda de estabilidade dinâmica implicaria que a Amoc se aproxima de seu patamar crítico, além do qual uma transição substancial e, na prática, irreversível para o modo fraco poderia ocorrer", disse Niklas Boers, do Instituto Potstdam de Pesquisa de Impacto Climático e autor do estudo.

Ao analisar a temperatura da superfície do mar e os padrões de salinidade do Atlântico, o estudo disse que o enfraquecimento do último século provavelmente está associado com a perda de estabilidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos