Evo Morales critica Chile um dia antes de cirurgia na laringe

Havana, 30 mar (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou a Cuba nesta madrugada para se submeter na sexta-feira a uma operação na qual extirpará um tumor benigno da laringe e tem se mantido ativo, como demonstrou ao tuitar nesta quinta-feira críticas ao governo chileno.

"Represálias a nossos jornalistas da #Bolívia de um governo supostamente socialista, com leis do passado pinochetista", escreveu Morales na rede social em referência ao tratamento recebido por profissionais de imprensa bolivianos que viajaram convidados por uma companhia aérea ao Chile, onde tiveram garantir por escrito que não realizariam atividades jornalísticas.

Embora o governo cubano não tenha divulgado informações a presença de Evo Morales em Havana por não se tratar de uma visita oficial, o próprio líder anunciou sua viagem à ilha caribenha ontem à noite.

Morales se submeterá na sexta-feira em um hospital de Havana - provavelmente o Centro de Pesquisas Médicas Cirúrgicas (Cimeq) - a uma cirurgia de extirpação de uma pequena tumoração benigna na laringe.

As autoridades bolivianas preveem que a recuperação deve durar aproximadamente uma semana até que o governante volte à Bolívia e, enquanto permanecer no exterior, seu vice, Álvaro García Linera, será o presidente interino.

Os sinais de rouquidão de Evo Morales começaram a ser notados em janeiro, quando fez um longo discurso para comemorar seus 11 anos na presidência e depois ficaram mais evidentes nas prolongadas alocuções que efetua a cada semana.

O nódulo foi descoberto no início deste mês em Cuba após Morales ser atendido em emergência por uma disfonia, sinusite e dores no abdômen.

O presidente boliviano decidiu passar pela cirurgia em Cuba após cinco médicos de seu país não conseguirem curá-lo da disfonia, segundo o governo da Bolívia. EFE