Trinta holandeses viverão em containers para testar vacina contra a pólio

Bruxelas, 2 mai (EFE).- No total, 30 pessoas de nacionalidade holandesa viverão durante um mês em containers situados no estacionamento do campus da Universidade da Antuérpia, na Bélgica, servindo de cobaias para uma pesquisa em torno da nova vacina contra a poliomielite.

Os 30 voluntários selecionados receberão a vacina e viverão desde 8 de maio em uma estrutura formada por 66 containers, na qual estarão em absoluto isolamento do resto do mundo para evitar que a cepa da vacina tenha contato com o exterior, informou a agência Belga.

Mais de 400 pessoas enviaram solicitação para ser parte deste experimento, mas muitas não cumpriam com os requisitos por ter uma idade muita avançada, não ter a forma física adequada ou ter nacionalidade belga.

Segundo a universidade, os pesquisadores necessitavam de voluntários procedentes de Holanda e Dinamarca, já que teriam recebido uma vacina durante sua infância diferente da que foi administrada aos belgas.

Após reduzir os 400 candidatos a 30 pessoas de nacionalidade holandesa (nenhum dinamarquês se apresentou), os selecionados terão que superar um exame psicológico durante esta semana para, finalmente, entrar e viver nos containers na próxima segunda-feira.

Após a conclusão do experimento, os candidatos deverão permanecer na Bélgica durante duas semanas para garantir que todas as cepas do vírus ficam eliminadas de seus organismos.

Os pesquisadores buscam assim reduzir assim ao mínimo a possibilidade de contágio no chamado "Cinto da Bíblia" holandês, uma região habitada por cristãos calvinistas na que há muitas pessoas sem vacinar. EFE