Cosmonautas encontram a origem do vazamento de ar na ISS e tentam solução

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Desde 2019, vem ocorrendo um vazamento de ar na Estação Espacial Internacional (ISS), e os tripulantes parecem estar avançando no combate ao problema. Os cosmonautas a bordo identificaram que o vazamento vinha de uma rachadura e tentaram remendá-la. Segundo informações do cosmonauta Anatoly Ivanishin, fornecidas na sexta-feira (16), a taxa de vazamento caiu pela metade.

Também na semana passada, a tripulação informou ao centro de controle que utilizou um saquinho de chá para rastrear a origem do problema: de acordo com o comunicado dos cosmonautas, havia uma rachadura no compartimento de intersecção do módulo russo Zvezda. “Nós enviamos a foto e o vídeo do ‘arranhão’”, disse Ivan Vagner. A Roscosmos comunicou à TASS, agência de notícias russa, que logo iria instruir a tripulação a esperar antes de realizar novas análises para garantir que os cosmonautas realmente tenham encontrado o foco do vazamento, para resolvê-lo de uma vez por todas.

Depois de diversos procedimentos, os astronautas identificaram que o problema vinha do módulo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)
Depois de diversos procedimentos, os astronautas identificaram que o problema vinha do módulo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)

Depois, eles selaram o vazamento com fita adesiva e, de fato, houve alguma melhora. O cosmonauta Anatoly Ivanishin informou o centro de controle em Moscou que a pressão no compartimento tinha caído 52 mm Hg para 681 mm Hg ao longo de 11,5 horas, enquanto a taxa de vazamento tinha caído de 7 a 9 mm por hora para 4 mm por hora, quase a metade e em ritmo mais lento. Mesmo assim, ele propôs pedir a ajuda de seus colegas Chris Cassidy e Kate Rubins para buscar algum mecanismo diferente. “Talvez, poderíamos tentar usar os remendos mais firmes dos nossos parceiros? Podemos falar com eles, porque o que temos não é tão eficiente”, disseram eles.

Na verdade, o problema com este vazamento ocorre há algum tempo: o vazamento de ar foi detectado pela primeira vez em 2019 e, mais recentemente, foram feitas buscas no laboratório orbital, com os astronautas identificando que o problema vinha do módulo russo Zvezda. A Roscosmos informou que o vazamento não coloca a tripulação em risco.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: