Costa Neto confirma filiação de Bolsonaro ao PL no dia 22

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, confirmou em vídeo divulgado na noite de quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro assinará sua ficha de filiação ao partido no próximo dia 22 e disse que o evento contará com presença de prefeitos e demais filiados à sigla.

"É com grande satisfação que eu anuncio para o dia 22 de novembro a assinatura da ficha do presidente Jair Bolsonaro, onde traremos nossos companheiros, nossos prefeitos, nossos amigos, nossos filiados para acompanhar essa filiação, que é um assunto de grande importância para o país, e que nós vamos ter uma grande participação nessa eleição", afirma Costa Neto no vídeo.

A Reuters havia antecipado em 26 de outubro que Bolsonaro deveria optar pelo PL, em uma mudança de rumo depois de praticamente ter fechado com o PP, outro importante partido do chamado centrão.

Ex-deputado federal, Costa Neto foi condenado e preso no esquema do mensalão, que ocorreu durante o governo do petista Luiz Inácio Lula da Silva, apontado pelas pesquisas de intenção de voto no momento como líder na corrida presidencial do ano que vem, à frente de Bolsonaro. O PL tinha o vice de Lula na eleição de 2002, o falecido empresário José Alencar.

Bolsonaro, que se elegeu pelo PSL em 2018, deixou o partido no ano seguinte e desde então não tem filiação partidária. Ele precisa estar filiado a uma legenda para disputar a reeleição no pleito do ano que vem.

Nesta semana, em conversa com apoiadores, ele justificou a então provável ida ao PL, agora confirmada, alegando que todos os partidos têm problemas. O presidente se elegeu em 2018 com um discurso de combate ao "toma lá, dá cá" político e à corrupção.

No passado, Costa Neto foi criticado por Bolsonaro e pelos filhos do presidente. Na segunda-feira, seu filho Carlos apagou um post no Twitter de três anos atrás em que ressaltava uma reportagem mostrando pagamentos de propinas ao então PR, como se chamava o partido na época, e a Valdemar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos