Costa Neto reitera convite para Bolsonaro se filiar ao PL

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Bolsonaro fala ao celular
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, divulgou vídeo nesta segunda-feira em que reitera o convite feito ao presidente Jair Bolsonaro para que se filie ao partido para disputar a reeleição no pleito do ano que vem.

No vídeo, Costa Neto estende o convite aos filhos do presidente e aos seus "fieis seguidores".

"Estamos reiterando o convite de filiação partidária dirigido ao presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e fiéis seguidores da causa brasileira sob sua liderança", afirma Costa Neto no vídeo.

"Inspirados na grandeza desse passo, seguiremos orientados pela fé no futuro do Brasil, certos de nossas convicções na batalha de reeleição do presidente Bolsonaro pelo Partido Liberal", acrescenta ele.

O PL foi o partido do candidato a vice na eleição de 2002 do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o falecido empresário José Alencar. O partido, e em especial Costa Neto, também estiveram no centro do esquema do mensalão, no primeiro mandato de Lula.

Costa Neto foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal no caso do mensalão e foi preso pelo seu envolvimento no esquema em dezembro de 2013. Em 2016 recebeu o perdão da pena e foi solto, beneficiado pelo indulto presidencial publicado no final de 2015.

Bolsonaro foi eleito presidente em 2018 pelo então nanico PSL, que empurrado pelo bolsonarismo elegeu a segunda maior bancada de deputados federais naquele ano. O presidente, entretanto, deixou a legenda em 2019 após uma disputa com o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar.

Para disputar a reeleição no ano que vem, Bolsonaro precisa estar filiado a algum partido. Ele chegou a anunciar a criação de uma nova sigla, o Aliança pelo Brasil, mas o processo não andou e sequer se aproximou do número mínimo de assinaturas exigido pela Justiça Eleitoral para dar entrada na criação da nova legenda.

Bolsonaro chegou a flertar com o Patriota, outro partido nanico ao qual o senador Flávio Bolsonaro (RJ) se filiou, mas disputas e resistências internas na legenda impediram que as tratativas avançassem.

Uma das alternativas do presidente é o PP, partido ao qual já foi filiado e com o qual as conversas para filiação estavam avançadas no início do mês. Essa possibilidade ganhou força com o apoio do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, presidente da legenda, mesmo com uma parte considerável do partido sendo contra.

Além de PL e PP, um outro caminho possível para Bolsonaro disputar a reeleição é o PTB, de Roberto Jefferson, que está preso desde 13 de agosto por determinação do Supremo Tribunal Federa (STF), acusado de realizar ataques pela internet a instituições democráticas no âmbito de inquérito que investiga as chamadas milícias digitais.

O PTB formalizou no início deste mês o convite de filiação a Bolsonaro.

O presidente precisa estar filiado a um partido seis meses antes do pleito marcado para outubro para estar apto a disputar a reeleição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos