Covas acusa Boulos de não saber fazer conta para equacionar rombo da previdência

Silvia Amorim
·1 minuto de leitura
Agência O Globo
Agência O Globo

SÃO PAULO - O candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB), criticou nesta quinta-feira a proposta do adversário Guilherme Boulos (PSOL) sobre o rombo da previdência municipal. O tucano usou o episódio para acusar o psolista de radical e inexperiente, rótulos que ele vem tentando imprimir a Boulos desde que começou o segundo turno.

– O radicalismo ideológico sabe criticar mas não sabe fazer conta – disse.

Boulos propôs na quarta-feira contratar servidores municipais para reduzir o déficit da previdência. Segundo números da prefeitura, a despesa com as aposentadorias e pensões de funcionários é de cerca de R$ 8,5 bilhões, mas a contribuição dos servidores paga apenas cerca de R$ 3 bilhões. Ou seja, sobra um rombo em torno de R$ 5,5 bilhões.

Covas classificou como sem sentido a proposta do adversário.

– Não tem nenhum sentido, para cobrir um déficit de R$5,5 bilhões, ter um custo extra de R$ 70 bilhões para contratar pessoas, reter parte desse valor e cobrir o rombo. É como gastar mais no cartão de crédito para ter mais milhas para viajar.

Pelo segundo dia consecutivo, Covas teve atividade de campanha na periferia da cidade. Desta vez ele tomou café da manhã em uma padaria na zona leste da cidade.