Covas dispara e Boulos aparece numericamente à frente de Russomanno em SP, diz Ibope

Sérgio Roxo
·2 minuto de leitura

PAULO — O prefeito Bruno Covas (PSDB), que disputa a releição, subiu seis pontos, ampliou a liderança e chegou aos 32% na pesquisa do Ibope sobre a eleição de São Paulo, divulgada nesta segunda-feira. Já o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, apareceu pela primeira vez numericamente à frente de Celso Russomanno (Republicanos) na disputa pelo segundo lugar.

Em relação ao levantamento anterior divulgado no dia 30 de outubro, Russomanno caiu oito pontos e agora tem 12%. O candidato do Republicanos vem mantendo uma trajetória de queda desde o dia 15 de outubro, quando tinha 25% das intenções de voto e liderava numericamente a disputa. Boulos manteve os 13%. Os dois estão empatados tecnicamente com Márcio França, que oscilou negativamente de 11% para 10%.

Jilmar Tatto (PT) continua com 6%. Arthur do Val (Patriota) passou de 3% para 5%. Joice Hasselmann (PSL) se manteve com 2%. Os demais candidatos tiveram 1% ou menos nas intenções de voto. Os eleitores que pretendem votar em branco ou nulo somam 11%, e os que estão indecisos, 5%.

O Ibope também calculou os votos válidos, que é a forma como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulga o resultado da eleição. Nessa conta, são excluídos os votos brancos e nulos. Se um candidato atinge 50% dos votos válidos mais um, vence a disputa sem a necessidade de disputar o segundo turno. Covas tem 38% dos votos válidos, de acordo com o instituto. Boulos e Russomanno aparecem com 15%, e França, com 12%.

Nas simulações de segundo turno, Covas mantém a liderança sobre os três adversários testados. No duelo contra Boulos, a sua vantagem seria de 52% a 24%. Se o adversário fosse Russomanno, o tucano ganharia por 54% a 22%. Contra França, o cenário é mais apertado para o atual prefeito, mas, mesmo assim, ele teria uma vantagem de 17 pontos e venceria por 47% a 30%.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidos 1.204 eleitores entre os dias 7 e 9 de novembro. A pesquisa, encomendada pela Rede Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo", foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número SP 017164/2020.