Covas diz que eleição não se resolverá no primeiro turno ao chegar para debate

·1 minuto de leitura
SÃO PAULO, SP, 12.11.2020 – ELEIÇÕES-MUNICIPAIS-SP: Debate entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo, realizado pela TV Cultura, no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste da capital paulista, na noite desta quinta-feira (12). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 12.11.2020 – ELEIÇÕES-MUNICIPAIS-SP: Debate entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo, realizado pela TV Cultura, no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste da capital paulista, na noite desta quinta-feira (12). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), disse nesta quinta-feira (12), ao chegar para o debate da TV Cultura, que não acredita em vitória sua no primeiro turno. Ele obteve 32% na pesquisa Datafolha mais recente e se isolou na primeira colocação.

"O que está no nosso horizonte é ganhar a eleição. Esta é uma eleição de dois turnos, muito dividida. Acho muito difícil qualquer resultado final de primeiro turno", afirmou aos repórteres.

Covas desconversou sobre a possibilidade de ser alvo de ataques, como ocorreu nos outros embates com os candidatos.

Guilherme Boulos (PSOL) disse esperar um confronto sem fake news, citando ataque contra ele feito por Celso Russomanno (Republicanos) no debate Folha de S.Paulo/UOL.

Os dois e Márcio França (PSB), empatados tecnicamente no Datafolha, disputam uma vaga no segundo turno.

Russomanno, que enfrenta sequência de queda nas pesquisas, buscou se mostrar confiante e afirmou que estará na fase final da disputa. França também disse que crescerá na reta final e enfrentará Covas na briga pela cadeira de prefeito.