Covas estuda a volta do rodízio na cidade de São Paulo durante a quarentena

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP - BRASIL - 29.04.2020 - VISITA AO HOSPITAL DE CAMPANHA. O governador, João Dória (PSDB), e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, durante visita técnica ao Hospital de Campanha do ginásio do Ibirapuera. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou na noite desta quarta-feira (6), em entrevista ao canal Globonews, que está em estudo a volta do rodízio de veículos na capital paulista a partir da próxima segunda-feira (11).

O tucano afirmou que a decisão deverá ser tomada nesta sexta-feira (8), quando deve ser anunciado como ficará o isolamento social na cidade. O rodízio foi suspenso em março, quando começou o período de quarentena por causa do novo coronavírus.

Covas, porém, não disse se o rodízio será como antes, com restrições pelo final da placa em dias variados pela manhã e no início de tarde ou fim de noite, se os carros serão proibidos de circular durante todo o dia ou, ainda, se vai ampliar a área de restrição para toda a capital paulista.

A prefeitura voltou atrás quanto ao bloqueio de vias da cidade após a medida causar congestionamento, inclusive de ambulâncias, e falhar em aumentar os índices de isolamento social contra o novo coronavírus.

Na segunda (4), a medida causou 11 km de congestionamento na cidade entre 8h e 9h, além de 21 km de lentidão, segundo balanço divulgado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

O prefeito disse ter recuado da medida por ela não ter surtido o efeito de reduzir a circulação de carros na cidade. "O que observamos foi que não houve aumento de pessoas em casa. Nosso compromisso é com a vida, não com o erro. Razão pela qual não temos mais bloqueios e a Secretaria de Transporte irá apresentar novas medidas para implementarmos", afirmou o tucano.