Covas muda 20 subprefeitos, põe ex-comandante da PM na Sé e exonera indicado de Doria

ARTUR RODRIGUES
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito Bruno Covas (PSDB) mudou nesta sexta-feira (19) 20 dos 32 subprefeitos, colocou na Sé um ex-comandante da PM e tirou um indicado do governador João Doria (PSDB) da sub do Butantã (zona oeste de SP). A reforma no grupo de subprefeitos era esperada há algumas semanas pela base aliada, bastante tensa devido ao que vê como falta de espaço na gestão tucana. As mudanças saíram no Diário Oficial nesta sexta. Alguns subprefeitos foram apenas movidos para outras subprefeituras, outros foram retirados permanentemente. Para a principal subprefeitura da cidade, a da Sé, Covas escolheu o ex-comandante da Polícia Militar, Marcelo Vieira Salles. O coronel Salles, como é conhecido, saiu do cargo de comandante da PM no ano passado. Ele foi candidato a vereador pelo PSD, mas não se elegeu. A escolha dele gerou algumas críticas entre a base aliada, porque, na visão dos vereadores, o nome não passou pela Câmara. Salles entra na chamada cota pessoal de Covas. Antes da nomeação, Salles fez um post em sua rede social falando do convite de Covas. "Muito lisonjeado com a distinção do convite do nosso prefeito", escreveu. Embora tenha um perfil de negociador político, o prefeito fez questão de escolher os nomes que comandarão as regionais de áreas vistas como estratégicas na cidade. A Sé é uma das mais problemáticas da capital, e inclui uma questão não resolvida por muitos prefeitos, a cracolândia. Um dos focos da gestão Covas é a tentativa de revitalizar o centro. Outra mudança polêmica está na subprefeitura do Butantã. Covas exonerou Paulo Vitor Sapienza, que atuou naquela regional também na gestão de João Doria na prefeitura. Sapienza era tido como uma indicação pessoal de Doria. O plano de mudança não era novo, mas, devido à proximidade deste nome com o governador, havia sempre tensão no ar em relação a este assunto. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou que, em 2017, ele era citado em processos judiciais (nos quais negava irregularidades) e ferrenho defensor de Doria. A mudança, segundo a reportagem apurou, contrariou aliados de Doria. Inclusive, é vista também como um fator que pode ter influenciado no humor do governador, que na manhã desta sexta criticou a prefeitura por antecipar feriados, com objetivo de aumentar medidas de isolamento social. A advogada Janaína Lopes de Martini, que antes era subprefeita de Santo Amaro (zona sul), assumiu o Butantã. Outro visto como uma indicação de Covas é José Rubens Domingues Filho, que saiu da Cidade Ademar (zona sul) e assumiu a Mooca (zona leste). A região é considerada estratégica por ter incluir o Brás, uma das principais áreas de compras da cidade. A Capela do Socorro (zona sul) permanece sob influência do vice-prefeito Ricardo Nunes (MDB). Sai o aliado de Nunes, Valderci Malagosini, e entra Renan Marino Vieira, ligado à Aesul (Associação Empresarial da Zona Sul), entidade que já foi presidida por Nunes. No esquema tradicional, além de subprefeitos, os vereadores indicam também outros servidores, como os chefes de gabinetes das subprefeituras. * SUBPREFEITOS NOMEADOS Niwton Gilberto de Jesus - Jaçanã Vinicius Moura Luz - Lapa José Rubens Domingues Filho - Mooca Guaracy Fontes Monteiro Filho - Casa Verde/Cachoeirinha Elisete Aparecida Mesquista - Vila Prudente Richard Haddad Junior - Pinheiros Marcelo Vieira Salles - Sé Dario José Barreto - Santana/Tucuruvi Adinilson José de Almeida - Ipiranga Flavio Ricardo Sól - Penha Renan Marino Vieira - Capela do Socorro Tiago de Almeida Machado - Jabaquara Rafael Dirvan Martinez Meira - Aricanduva/Vila Formosa/Carrão Renado Galindo Jardim da Silva - Cidade Ademar Roberto Godoi Carneiro - Vila Maria/Vila Guilherme Marlon Sales da Silva - Sapopemba Thiago Della Volpi - Guaianases Janaína Lopes de Martini - Butantã Joel Bomfim da Silva - Ermelino Matarazzo Maria de Fátima Marques Fernandes - Santo Amaro