Covas reconhece divergências com Joice e Russomanno, mas defende aliança no segundo turno

Silvia Amorim
·2 minuto de leitura
Photo Premium / Agência O Globo
Photo Premium / Agência O Globo

SÃO PAULO - O candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB), recconheceu nesta sexta-feira ter muitas divergências com os candidatos a prefeito derrotados Celso Russomanno (Republicanos) e Joice Hasselmann (PSL), de quem recebeu apoio esta semana para a disputa de segundo turno. O tucano enfrenta Guilherme Boulos (PSOL).

Joice e Russomanno fizeram duras críticas ao prefeito e sua gestão da cidade. Mesmo assim, o prefeito afirmou não ver problema para uma aliança agora.

— Se a gente tivesse mais convergências do que divergências eles teriam apoiado a gente no primeiro turno. Mas no segundo é outra realidade. Eles se identificaram mais com a nossa candidatura, apesar de todas as divergências, do que com a candidatura adversária — disse Covas.

Covas recebeu Joice na quinta-feira para conversar sobre o segundo turno. Depois do encontro, a deputada divulgou uma nota em apoio à candidatura dele. Ela propôs ao candidato que inclua no progama de governo uma promessa de campanha dela.

— Me comprometi a levantar alguns pontos do programa de governo dela para incorporar ao nosso. Essa é a lógica do segundo turno. Tem um (ponto) que ela insiste muito que é a Lava-Jato municipal. Seria uma estrutura que ela possa coordenar com pessoas de fora da prefeitura para ajudar a dar uma olhada em todos os contratos. Vamos analisar juridicamente — afirmou o prefeito.

O apoio de Russomanno veio por uma carta pública do candidato derrotado no início da semana.

Diferentemente de Russomanno e Joice, a ex-prefeita Marta Suplicy esteve com Covas desde o primeiro turno e terá papel de destaque na campanha na reta final. Ela e o prefeito terão uma atividade de rua juntos neste sábado a bordo do veículo providenciado pela equipe de Covas exclusivamente para Marta. O "Martamovel" ajudará a ex-prefeita a circular pela periferia da cidade, onde é bastante popular, para pedir votos ao tucano. O veículo é aberto mas com proteção de acrílico para evitar o contato físico durante a pandemia. Marta tem 75 anos e é do grupo de risco da Covid-19.

Perguntado sobre outra ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina, vice de Boulos, Covas disse:

— Respeito muito a história da Luiza Erundina. Quando ela foi condenada a devolver recursos para o poder público ajudei a coordenar um jantar de arrecadação para ajudar ela a pagar essa multa. Eu sei que a Luiza Erundina é uma pessoa honesta e, portanto, nesse caso não foi que ela se beneficiou. Entendo que a gente precisa deixar divergências partidárias e eleitorais de lado às vezes para poder somar forças por pessoas de vem na cidade.

Covas visitou pela manhã a sede de um sindicato que representa trabalhadores do setor de limpeza pública e recebeu apoios de algums entidades sindicais.