Covas tem diagnóstico de novo nódulo no fígado e volta para quimioterapia

ARTUR RODRIGUES
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi diagnosticado com um novo nódulo no fígado, segundo comunicado emitido nesta quarta-feira (17) por sua equipe médica. Por isso, o tratamento de imunoterapia foi interrompido e ele voltou à quimioterapia. Comunicado dos médicos de Covas diz que ele foi internado no Hospital Sírio-Libanês na terça (16) para realizar exames de controle relativos ao tratamento contra um câncer no trato digestivo. "Os exames de imagem realizados nesta 4ª feira, 17/02, evidenciaram sucesso da radioterapia no controle dos linfonodos, próximos ao estômago. Foi detectado também o surgimento de um novo nódulo no fígado, cuja presença enseja ajuste no tratamento", diz o comunicado. Segundo o comunicado, a imunoterapia será interrompida para o início da quimioterapia " Inicialmente estão prescritas quatro sessões de 48 horas, com intervalos de 14 dias entre cada uma", diz o comunicado. Ao fim deste ciclo, serão realizados novos exames. A quimioterapia já foi iniciada nesta quarta (17). Por isso, Covas continua internado até sábado. Segundo o boletim, Covas está bem disposto, alimentando-se bem e recuperando peso após período de radioterapia. O prefeito já havia feito tratamento com quimioterapia e a metástase no fígado havia desaparecido. Em outubro de 2019, exames apontaram o surgimento um tumor no trato digestivo do prefeito Bruno Covas. Entre outubro de 2019 e fevereiro último, o prefeito fez oito sessões de quimioterapia. As lesões cancerígenas regrediram, mas não desapareceram por completo. Desde fevereiro, ele passou a fazer uso da imunoterapia. A imunoterapia, que normalmente dura dois anos, tem revolucionado o tratamento de vários tipos de câncer. No caso de Covas, além do tumor na cárdia, foram detectadas lesões no fígado e nos linfonodos ao lado do estômago.