Covas vê Bolsonaro próximo do PP e decide deixar partido sem secretarias na Prefeitura de SP

GUILHERME SETO
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 29.11.2020 - Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 29.11.2020 - Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito Bruno Covas (PSDB) decidiu que o PP perderá espaço e não comandará secretarias na Prefeitura de São Paulo.

O tucano e seus aliados acreditam ter indícios fortes de que o presidente Jair Bolsonaro se filiará ao partido e por isso decidiram reduzir seu poder de atuação no município, ainda que o PP tenha feito parte da aliança que trabalhou pela reeleição de Covas na capital.

Como mostrou o Painel, os aliados do prefeito já haviam reclamado da falta de empenho do PP na capital e se queixaram da ausência da imagem de Covas no material de campanha dos candidatos a vereador pelo partido.

Na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, Bolsonaro apoia Arthur Lira (AL), lançado pelo PP. A ala de Covas e de João Doria (PSDB) é próxima do bloco de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e de Baleia Rossi (MDB-SP), que disputará o posto.

O atual secretário de Esportes da Prefeitura de SP, Maurício Bezerra Landim, ex-assessor do deputado Guilherme Mussi (PP-SP), foi indicado pelo PP e será substituído.