Covid-19: Áreas de lazer de condomínios voltam a ser liberadas com novas regras no Rio, esclarece prefeitura; entenda

Luiz Ernesto Magalhães
·2 minuto de leitura
Brenno Carvalho 26-03-2020

RIO — O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, confirmou, na tarde desta quarta-feira, que áreas de lazer de condomínios foram liberadas pela resolução conjunta da prefeitura e do governo estadual que leva em conta o panorama da Covid-19 na capital, e visa regular as atividades na cidade de acordo com o nível de contágio em cada área.

Nas áreas do Rio consideradas pelo município como de risco moderado para o contágio de coronavírus, podem funcionar com plena capacidade em condomínios as piscinas, quadras poliesportivas, entre outros espaços de lazer de áreas abertas, desde que respeitadas regras como uso de máscaras nas áreas comuns, e que seja disponibilizado álcool em gel. No caso de locais onde há risco alto para a doença, a capacidade é reduzida à metade e, se o status passar para muito alto, a capacidade deverá ser reduzida a um terço do total.

No caso de equipamentos em locais fechados de condomínios, as regras serão similares às das atividades comerciais. Academias de ginástica e salões de jogos, por exemplo, quando em áreas de risco moderado, poderão abrir com dois terços da capacidade. A capacidade permitida cai para a metade no caso de risco alto e muito alto. Já em relação às saunas, a resolução prevê dois terços da capacidade permitidos em risco moderado, metade da lotação em risco alto, e fechamento total no risco muito alto.

— Cabe aos síndicos fiscalizar o cumprimento das restrições. Se a prefeitura receber denuncias pelo 1746 poderá fazer vistorias e identificar irregularidades. O condomínio está sujeito a ser multado. E moradores também, se estiverem em áreas comuns sem máscaras — disse Daniel Soranz.

Segundo o secretário, as avaliações de risco permitiram a reabertura dos espaços.

— Essa liberação era uma das principais demandas da população — disse Soranz.

O prefeito Eduardo Paes publicou nesta quarta-feira, dia 13, no Diário Oficial do Município as novas medidas de flexibilização devido ao avanço do novo coronavírus. No texto, estão especificadas as regras para os três níveis de alerta: moderado, alto e muito alto. O novo decreto, válido a partir de sua publicação, traz as diretrizes para a capital, em especial para as 18 regiões classificadas com risco alto, de acordo com o primeiro Boletim Epidemiológico da Covid-19 na Cidade do Rio de Janeiro, lançado na última sexta-feira, dia 8.