Covid-19: cidade do Rio confirma caso da variante Mu, mas descarta transmissão comunitária

·1 minuto de leitura

RIO — A Prefeitura do Rio confirmou, nesta sexta-feira, o primeiro caso da variante Mu da Covid-19 no estado. A linhagem foi identificada pelo estudo "Rede Corona-Ômica", que realiza sequenciamentos genéticos do coronavírus, numa amostra coletada em junho. Desde então, a cepa não foi encontrada em outras amostras da pesquisa, que faz uma nova rodada de sequenciamentos a cada 15 dias.

Durante a divulgação do 37° boletim epidemiológico da cidade, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, ressaltou que a cepa não teve transmissão comunitária, e que as análises genômicas ainda apontam a predominância quase absoluta da variante Delta.

— A variante Mu foi identificada em um paciente que viajou ao México, não foi um caso de transmissão local. Mas o diagnóstico aconteceu. A gente sabe também que a Delta predomina no mapa de variantes, mesmo em relação a essa — informou Soranz.

Originária da Colômbia, a linhagem Mu (B.1.621) não é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) uma variante de preocupação (VOC), diferentemente da Delta, e sim uma variante de interesse. Isso porque, segundo a agência, a Mu apresentou propriedades capazes de furar o bloqueio imunológico coletivo conferido pelas vacinas.

Segundo a OMS, a cepa tem "uma constelação de mutações que indicam propriedades potenciais de escape da imunidade". A entidade ressalta, porém, que esses pressupostos se baseiam em estudos preliminares, e que mais dados são necessários.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos