Covid-19: Com aumento em mais de 300% no número de casos, estado volta a recomendar uso de máscaras

Em uma semana, houve aumento de 330% no número de casos confirmados de Covid-19 em todo o estado do Rio. Foram 4.368 registros da doença na semana de 30 de outubro a 5 de novembro. Já na semana seguinte, de 6 a 12 de novembro, o número saltou para 18.799 ocorrências. Nesta sexta-feira, foram confirmados novos 10.633 infectados pela doença. Diante do aumento do número de casos, a Secretaria estadual de Saúde passou a recomendar o uso de máscara, que permanece facultativo.

A taxa positividade para a Covid-19 está em 37% no território fluminense. O dado ainda é preliminar, já que a semana epidemiológica só encerrará neste sábado. A taxa, no entanto, é maior que o percentual das últimas duas semanas, quando foram registradas 25% e 32%, respectivamente. O número de pessoas na fila de espera por um leito de Covid-19 também cresceu. No estado do Rio, em 11 de novembro tinham 17 pessoas aguardando transferência — sete para uma UTI. Nesta sexta-feira, 73 pacientes aguardavam uma vaga em hospital — 28 para UTI — quatro vezes mais que uma semana antes.

Na capital, o crescimento do número de casos entre as duas últimas semanas epidemiológicas foi de 155%. O salto foi de 8.177 casos na semana 44 — entre o dia 30 de outubro e 5 de novembro — para 20.889 na semana 45 — entre 6 e 12 de novembro. A taxa de positividade também cresceu. Está em 32%. Na semana 45, estava em 30% e na semana 44 em 24%.

Há 164 pessoas internadas com a doença e 24 aguardando vaga. Os casos de síndrome gripal, suspeitos de serem Covid-19, cresceram de 35.024, na semana 44, para 83.211, na semana 45, e 344.975 na semana atual semana.

Em nota, a Secretaria estadual de Saúde (SES) disse que segue as recomendações e orientações do Ministério da Saúde sobre a Covid-19. Além do uso de máscaras, a nota técnica divulgada no início do mês recomenda a testagem de casos de síndrome gripal, distanciamento físico, etiqueta respiratória, higienização das mãos, limpeza e desinfeção de ambientes e isolamento de casos suspeitos e confirmados.

O uso de máscara permanece facultativo a todos, mas também é recomendado àqueles que estão com sintomas gripais (ou tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados), assim como para as pessoas com fatores de risco, em especial imunossuprimidos, idosos, gestantes e pessoas com múltiplas comorbidades. Diante do aumento do número de casos, a SES recomenda ainda o uso de máscara em unidades hospitalares.

No âmbito coletivo, o uso de máscaras deve ser definido pelas autoridades locais, dependendo do cenário epidemiológico de cada município, acrescentou a secretaria.