Covid-19: Duque de Caxias informa morte de paciente com a variante Delta, a primeira no estado do Rio

·2 minuto de leitura

RIO - A Prefeitura de Duque de Caxias comunicou, nesta quinta-feira, a morte de um paciente com a variante Delta da Covid-19. Trata-se do primeiro óbito confirmado pela cepa no estado do Rio. A informação, confirmada pelo GLOBO, foi publicada inicialmente pelo jornal "O Dia". Procurada, a Secretaria estadual de Saúde ainda não se manifestou.

Já a Secretaria municipal de Saúde de Caxias, por intermédio do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (CIEVS), informou que o paciente em questão tinha 50 anos e apresentava comorbidades. O homem era morador da própria cidade, situada na Baixada Fluminense, e deu entrada na UPA Beira Mar em 26 de junho para primeiro atendimento. Dois dias depois, ele foi internado e transferido para a UTI do Hospital municipal Doutor Moacyr Rodrigues do Carmo, também em Caxias, onde acabou morrendo em 5 de julho.

Durante a internação, ainda de acordo com o CIEVS, o paciente apresentou febre, tosse e falta de ar. A tomografia de tórax apontou que ele estava com 50% dos pulmões comprometidos pela doença. Segundo a Prefeitura de Caxias, a confirmação de que ele havia contraído a variante Delta foi feita pela Secretaria estadual de Saúde, "que monitora os resultados dos exames realizados em todo o estado". O município diz ter sido informado do diagnóstico no último domingo, dia 18 de julho.

O CIEVS informou ainda que realizou, ao todo, o monitoramento de seis casos da variante Delta na cidade e que, até o momento, "obteve retorno de quatro investigações" — um paciente masculino não foi localizado, e o sexto é o que veio a óito. Segundo o órgão, os quatro pacientes "mantiveram isolamento domiciliar no período de transmissibilidade e que os contatos relacionados são contatos domiciliares, sendo sete familiares ao todo". Ainda de acordo com a pasta, dois desses parentes realizaram o teste de antígeno em farmácia, com resultado positivo, mas sem investigação genômica. "Todos foram monitorados e permaneceram isolados no período de transmissibilidade", frisa o CIEVS.

A Prefeitura de Caxias comunicou também que nenhum dos pacientes monitorados tem qualquer histórico de viagem para o exterior. Entre os seis casos totais, incluindo o do paciente que morreu e o não localizado pelas autoridades sanitárias, as idades dos doentes variam de 28 a 58 anos. Dos quatro casos dos quais a CIEVS diz já ter obtido retorno, ninguém havia recebido a vacina contra a Covid-19.

Além disso, nenhum dos pacientes apresentava comorbidades. Os sintomas apresentados pelos quatro pacientes monitorados foram variados e incluem algumas das manifestações já conhecidadas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores de cabeça e no corpo, vômito e alteração de olfato e paladar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos