Covid-19: Duque de Caxias retoma vacinação com longas filas, aglomeração e caos no trânsito

Flávio Trindade
·2 minuto de leitura

RIO — O municipio de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, retomou nesta segunda-feira a vacinação contemplando a faixa etária de 65 anos. E, mais uma vez, como tem ocorrido ao longo de todo o mês de março, o processo ficou marcado por longas filas, muita aglomeração de idosos e caos no trânsito no centro da cidade.

Um dos postos foi montado na Praça do Pacificador, onde idosos chegaram ainda de madrugada para esperar a vacinação. Muitos vieram de longe e reclamaram bastante da falta de um posto em suas regiões, como a dona de casa Maria de Fátima, de 66 anos, que saiu de Saracuruna às 4h.

— Por que não montam um posto de saúde na Praça de Saracuruna? Agora a gente de lá é obrigado a sair ainda de madrugada, correndo perigo pra vir até o Centro. Tem de mudar isso — reclamou.

Durante a manhã, a fila com centenas de pessoas dava duas voltas na praça. Além disso, outra fila causava ainda mais problemas. Como foi aberta também a vacinação drive-thru, uma caravana de carros causava congestionamento na Avenida Presidente Kennedy e, consequentemente, na Plinio Casado, do outro lado da praça.

Nem um carroceiro escapou, ficando preso em meio a carros e ônibus. O motorista de ônibus Rafael Cardoso reclamou da ideia de montar um drive-thru nas principais vias da região.

— Tem de procurar o 'gênio' que planejou isso e dar um prêmio. Não é possível que alguém pensou em botar um posto na principal avenida de Caxias e disse 'vai dar certo' — ironizou.

No inicio da manhã, como o tempo estava nublado, a espera não foi tão desgastante, mas a partir das 9h30m, quando o sol começou a aparecer com força, os idosos começaram a procurar pontos de sombra e reclamar. A aposentada Jeruza da Silva, que tem dificuldades para se locomover, recebeu uma senha e reclamou da falta de prioridades para deficientes.

— Tinha de ter uma prioridade. Cheguei aqui às 5h e estou aqui sentada porque não tenho como aguardar de pé — reclamou.

Ao lado dela, a dona de casa Luzia Veloso, que saiu de Vila São Luiz às 5h da manhã, fez coro:

— Podia ser melhor organizado. Tem pessoas aqui que não tem condições de ficar esperando.