Covid-19: eficácia da vacina Sputnik V varia de 94% a 95%, diz Rússia

Maurício Ferro
·1 minuto de leitura

O Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) informou nesta terça-feira que a eficácia da vacina Sputnik V, desenvolvida pela Rússia, varia de 94%, na primeira injeção, a 95%, com a segunda dose. As informações referem-se à terceira fase de testes do imunizante contra a Covid-19.

— Podemos dizer que a eficácia de nossa vacina é muito alta — disse Kirill Dmitriev, chefe do RDIF, em uma transmissão ao vivo organizada para divulgar os resultados.

Leia também

O chamado ensaio de Fase 3 do imunizante desenvolvido pelo Instituto Gamaleya ocorre em 29 clínicas em Moscou e envolve 40 mil voluntários no total, com um quarto recebendo uma injeção de placebo. Os dados ainda serão divulgados em revista científica "internacionalmente reconhecida".

Custo total inferior a US$ 20

Dmitriev afirmou que o objetivo do governo russo é produzir uma vacina “acessível”. Por isso, disse ele, o custo de uma dose será inferior a US$ 10. Como são necessárias duas doses, o valor total da vacinação seria menor do que US$ 20.

A Rússia também informou que o transporte da vacina poderia ser feito a temperaturas de 2ºC a 8ºC. A vacina produzida pela Pfizer e BioNTech, por exemplo, requer temperaturas de -70ºC, o que constitui um desafio logístico.

— Vai ser mais fácil para transportar. Temos muitos parceiros da Ásia e da América Latina. Claro que para eles é muito importante ter essa forma de transporte — afirmou Dmitriev.

O chefe do RDIF acrescentou que a Rússia está pronta para produzir até 500 milhões de doses e começar a imunizar pessoas de diversos países do mundo em 2021.