Covid-19: estado de SP tem aumento de 18% nas internações, diz governo

Ana Letícia Leão
·2 minuto de leitura
Márcia Foletto / Agência O Globo
Márcia Foletto / Agência O Globo

SÃO PAULO - O governo de São Paulo confirmou, nesta segunda-feira, um aumento de 18% nas internações por Covid-19 em todo o estado, em hospitais públicos e privados. Na semana passada, uma reportagem do Globo já havia demonstrado a preocupação de especialistas em relação ao salto de casos suspeitos da doença e sobre uma provável segunda onda em SP. Entenda: Segunda onda da Covid-19 pode encontrar Brasil mais vulnerável

Na 46ª semana epidemiológica (semana passada), eram 859 pessoas internadas. Na 47ª (semana em curso), o número de hospitalizados em todo o estado passou para 1.009. O aumento das internações e o "apagão" de dados do coronavírus em função de uma pane no sistema do Ministério da Saúde fizeram com que o governo paulista adiasse a reclassificação do estado no Plano São Paulo. Em outubro, 76% do estado deixou a fase amarela e avançou para a verde, o que permitiu mais medidas de flexibilização. Nesta segunda, explicou o governo, a fase verde poderia atingir até 90% do estado, mas a decisão é de adiar avaliação para 30 de novembro.

— A falta de informações sobre casos e óbitos durante seis dias da semana passada afetou a normalização dos dados. Estamos adiando a atualização do Plano São Paulo. É uma medida de cautela — afirmou o governador de São Paulo, João Doria, em coletiva de imprensa. — Pelos indicadores disponíveis, a maioria da população já seria promovida hoje à fase verde, mas indicadores de ocupação de leitos de UTI e internações cresceram nesta última semana. O momento requer precaução para uma análise mais completa — completou o governador. Rio de Janeiro: Ocupação chega a 97% em leitos de UTI da rede municipal

Os números atualizados da Covid-19 no estado não foram passados durante a coletiva de imprensa de hoje. Segundo o último boletim, divulgado no domingo, SP tem 40.564 obitos por coronavírus e 1.168.640 casos confirmados da doença. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 46,3% na Grande São Paulo e 41,9% no Estado.

Diante do aumento no número de internações, o governo paulista não descartou medidas mais drásticas de isolamento e se mostrou preocupado com o futuro da doença no estado.

— Se nós tivérmos índices aumentados, seguramente medidas muito mais austeras e restritivas serão tomadas. É assim que o faremos. Relacionado ao próprio feriado, todas as aglomerações passaram a acontecer. Festas aconteciam sem a menor proteção. Dessa maneira, já é um pequeno esboço do que virá se não tivermos responsabilidade — disse Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde.