Covid-19: EUA doarão 500 milhões de vacinas a países pobres; Brasil fica de fora

·2 minuto de leitura
Vacinas serão entregues a mais de 90 nações pelo mundo - Foto: Getty Images
Vacinas serão entregues a mais de 90 nações pelo mundo - Foto: Getty Images
  • Estados Unidos doarão meio bilhão de doses de vacina contra a Covid-19 a países pobres

  • Os imunizantes da Pfizer serão entregues até o meio do ano que vem

  • O Brasil, porém, não está entre as nações que serão beneficiadas

Os Estados Unidos vão doar 500 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 a países pobres. O Brasil, no entanto, não está na lista. O anúncio foi feito pela Casa Branca nesta quinta-feira.

"O objetivo da doação de hoje é salvar vidas e encerrar a pandemia, e fornecerá o fundamento de ações adicionais a serem anunciadas nos próximos dias", explicou.

Leia também

De acordo com informações da Agência Reuters, mais de 90 países serão beneficiados com a distribuição de imunizantes. Trata-se da maior doação de vacinas já realizada por um país.

A medida acontecerá após um acordo entre o governo norte-americano e a Pfizer, que será a responsável pelas 500 milhões de doses. A empresa proporcionará 200 milhões de vacinas ainda este ano, e mais 300 milhões até o meio de 2022.

Doses doadas serão da Pfizer - Foto: Getty Images
Doses doadas serão da Pfizer - Foto: Getty Images

"Nossa parceria com o governo dos EUA ajudará a levar centenas de milhões de doses de nossa vacina aos países mais pobres do mundo o mais rapidamente possível", disse o executivo-chefe da Pfizer, Albert Boula, à Reuters.

A imprensa dos Estados Unidos comunicou que, no total, serão ajudados 92 países de baixa renda e a União Africana.

"Certamente, estas 500 milhões de doses de vacina são bem-vindas, já que ajudarão mais de 250 milhões de pessoas, mas isto ainda é uma gota no oceano comparado à necessidade em todo o mundo", avaliou Niko Lusiani, que comanda a unidade de vacinas da Oxfam América.

Brasil não está entre os beneficiados

O G1 explicou que as doses serão entregues por meio da aliança Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS), a nações consideradas de renda baixa ou “médio-baixa”, como Afeganistão, Angola e Síria.

De acordo com o site, o Brasil não está na lista, uma vez que faz parte da Covax mas como país capaz de comprar suas próprias doses, assim como Argentina, Canadá, Reino Unido, e cerca de outras 80 nações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos