Covid-19: fila por UTI no estado é a menor em um mês, mas 11 cidades ainda têm todos os leitos ocupados

Luã Marinatto
·1 minuto de leitura

RIO - A fila por leitos de UTI para Covid-19 no estado do Rio, que chegou a superar os 700 pacientes há cerca de 20 dias, é de196 pessoas nesta segunda-feira. Trata-se do menor patamar desde 15 de março, quando 171 acometidos pela doença aguardavam tratamento de emergência. Na ocasião, a rede fluminense registrava o terceiro dia consecutivo de aumento na fila, ainda no princípio da recente escalada.

O percentual de ocupação dos leitos, contudo, permanece elevado: 85,8%. Além disso, a ligeira melhora no cenário não se reflete de maneira homogênea pelo estado. De acordo com o painel Covid-19 atualizado pela Secretaria estadual de Saúde, 11 das 92 cidades fluminenses encontram-se com todas as vagas de UTI exclusivas para coronavírus ocupadas.

A maior parte desses municípios são no interior: Barra do Piraí, Bom Jesus do Itabapoana, Miguel Pereira, Nova Friburgo, Paraíba do Sul, Rio Bonito, São Fidélis, Sapucaia, Tanguá e Teresópolis. Além deles, Itaguaí, na Baixada Fluminense, também não tem mais leitos de urgência disponíveis.

A situação na capital do estado, por sua vez, também continua delicada. Nesta segunda-feira, 679 dos 730 leitos de UTI para Covid-19 da rede municipal estavam em uso, o que representa um índice de ocupação de 93%. O quadro é semelhante em relação às vagas em enfermarias para o coronavírus na cidade, 88% delas utilizadas - ou 697 de 791 disponíveis.

No estado como um todo, a ocupação das enfermarias também está em queda, com 32 pessoas aguardando vagas do gênero - neste caso, trata-se do menor patamar desde 11 de março. A ocupação é de 69%. Na soma entre UTIs e enfermarias, há 228 pacientes à espera de leitos na rede fluminense nesta segunda-feira.