Covid-19: funcionários de hospital em Londrina morrem após se recusarem a tomar vacina

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Funcionários de hospital se juntaram aos mais de 400 mil mortos pela Covid-19 no Brasil (Michael Dantas/AFP via Getty Images)
Funcionários de hospital se juntaram aos mais de 400 mil mortos pela Covid-19 no Brasil (Michael Dantas/AFP via Getty Images)
  • Dois profissionais do Hospital Zona Sul morreram após recusarem-se a tomar a vacina

  • Jeferson e Ângela faziam parte de um grupo que chegou a 31 funcionários que abriram mão do imunizante

  • Outros centros médicos da cidade registraram trabalhadores que assinaram termo recusando a vacina

Dois profissionais de um hospital em Londrina, no Paraná, morreram por complicações da Covid-19 após se recusarem a tomar a vacina contra o vírus. As informações são da TV RPC, afiliada da Globo no estado.

O Hospital Zona Sul registrou os óbitos do auxiliar administrativo Jeferson Alves da Costa, de 34 anos, e da técnica de enfermagem Ângela Marques, de 54, por complicações do coronavírus. Eles faziam parte de um grupo de 31 funcionários que decidiram não se vacinar.

Leia também

Segundo a direção do hospital, estes colaboradores chegaram a assinar um termo oficializando a decisão de não se imunizarem. Depois de um trabalho de convencimento, o número foi reduzido para 10.

Entre eles, estava Jeferson. Em fevereiro, ele teve a chance de receber a vacina, mas assinou o termo abrindo mão. No fim de março, voltou atrás e decidiu tomar a primeira dose, mas não houve tempo para que a imunização o salvasse.

Jeferson e Ângela morreram após se recusarem a receber a vacina - Foto: Reprodução/TV RPC
Jeferson e Ângela morreram após se recusarem a receber a vacina - Foto: Reprodução/TV RPC

Já Angela sequer recebeu a primeira dose da vacina. Trabalhando na linha de frente do combate ao vírus, ela contraiu a Covid-19, teve uma piora no quadro e morreu na última sexta-feira.

Recusas por toda a cidade

O Hospital Zona Sul não é um caso isolado em Londrina. No Hospital Zona Norte, também 10 funcionários recusaram-se a receber a vacina contra a Covid-19. No Hospital Universitário, este número foi de 20.

De acordo com a 17ª Regional da Saúde, entre os principais motivos listados por estes funcionários para abrirem mão da vacina está o medo de reações graves.