Covid-19: Isolamento no Rio durante feriado fica em 82%, mas grupos de pessoas ainda são vistas na orla

Ludmilla dee Lima

RIO - Mesmo com o feriado de sol, grande parte dos moradores do Rio parece ter aprendido a lição. A taxa de isolamento social nesta sexta-feira até o final da tarde ficou em 82%, com as areias, do Leme ao Recreio, praticamente vazias. Grupos de pessoas eram, no entanto, vistas caminhando e pedalando no calçadão, sendo a maioria de máscara. O pedidos para que a população fique em casa também não surtiu efeito entre um grupo de surfistas que aproveitava o mar agitado em São Conrado para pegar onda. O percentual de isolamento é um pouco mais alto que o de ontem, de 80%, e igual ao de sexta passada. Na mureta da Urca, que no domingo passado chamou a atenção nas redes com fotos de pessoas lotando o local no fim de tarde, guardas municipais encontraram nesta sexta-feira, por volta das 15h, um estabelecimento aberto e uma pequena aglomeração. Após a abordagem dos agentes, o bar fechou as portas e as pessoas foram dispersadas.

Confinamento: Comitê de notáveis acenou a Witzerl sobre necessidade de lockdown no RioEm comparação com o último feriado, no dia 23, Dia de São Jorge, o isolamento social na cidade ficou no mesmo patamar, de acordo com a empresa Cyberlabs, que usa as imagens captadas pelas câmeras do Centro de Operações da prefeitura para calcular as taxas, usando tecnologia de inteligência artificial.

— Hoje (ontem) temos até o momento números bem mais baixo do que o normal (de pessoas nas ruas). Temos observado aglomerações em supermercados e, de manhã, de algumas pessoas caminhando na orla. Comparamos alguns bairros da Zona Sul, e eles também estão abaixo da média da semana passada e retrasada - diz o chefe-executivo do Centro de Operações, Alexandre Caderman.Copacabana, bairro que preocupa pela grande quantidade de idosos e de casos do novo coronavírus - eram 285 até a noite de ontem, atrás só de Campo Grande -, manteve ontem a taxa dos 76%, média de toda a semana passada por lá. Botafogo, até o fim da tarde, tinha menos 79% de pessoas nas ruas, enquanto a média da semana passada no bairro era de 71%. Jacarepaguá é outro lugar da cidade com sinal amarelo: o isolamento ontem foi de 78%, contra 74% de média da semana passada. Ou seja, ainda longe do ideal.

Para o engenheiro mecatrônico Felipe Vignoli, sócio-fundador da Cyberlabs,a taxa de 8% ontem pode ter sido influenciada por menos circulação de trabalhadores nas ruas, assim como serviços fechados. Um dado de quinta do Cyberlabs chamava a atenção: Jacarepaguá alcançou índice de isolamento de apenas 40%, porque, segundo o chefe do COR, uma das câmeras captou imagens da fila na porta da Caixa Econômica Federal.