Covid-19: Janssen conclui entrega de vacinas deste ano ao Brasil

·1 min de leitura

A Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson, concluiu nesta quinta-feira o fornecimento de 38 milhões de doses de vacinas contra Covid-19, previsto no acordo firmado com o Ministério da Saúde para este ano. De acordo com a pasta, apenas esta semana foram recebidas 9,7 milhões de doses. A última remessa foi de 6 milhões de vacinas.

Ômicron:reforço da Janssen é 84% eficaz na redução de hospitalizações, mostra estudo sul africano

Além dessas 38 milhões de doses, o Brasil recebeu outras 3 milhões de vacinas da Janssen, em junho, doadas pelo governo dos Estados Unidos, oriundo de um acordo bilateral estabelecido entre os governos dos dois países.

A vacina da Janssen teve seu uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março deste ano, como dose única. Entretanto, no fim de novembro, o Ministério da Saúde recomendou a aplicação de uma dose de reforço da vacina com intervalo entre dois e seis meses depois da primeira. A decisão foi tomada após estudos mostrarem que a injeção extra aumenta consideravelmente a proteção conferida pelo imunizante.

Os dados da análise final do estudo de fase 3 demonstraram eficácia geral de 75% da vacina de dose única da Janssen contra casos graves da doença. Uma pesquisa posterior concluiu que proteção do imunizante subiu para 100% quando avaliada pelo menos 14 dias depois da dose de reforço.

Neste mês, a Janssen submeteu à Anvisa o pedido de registro definitivo da vacina para imunização primária ou como dose de reforço homóloga (quando uma vacina igual foi recebida anteriormente) ou heteróloga após a conclusão da vacinação primária com vacinas mRNA (caso dos imunizantes da Pfizer e da Moderna).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos