Covid-19: Ladrões roubam fiação de UBS e 'estragam' R$ 30 mil em vacinas

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
UBS teve os cabos de energia furtados, o que provocou a perda das vacinas armazenadas. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Ponta Grossa)
UBS teve os cabos de energia furtados, o que provocou a perda das vacinas armazenadas. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Ponta Grossa)
  • UBS teve fios elétricos furtados e, sem energia, as vacinas armazenadas estragaram

  • Prefeitura de Ponta Grossa estima prejuízo de R$ 30 mil

  • Na semana passada, um ar-condicionado foi furtado na mesma unidade

Ladrões furtaram a fiação elétrica de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) na cidade de Ponta Grossa, no Rio Grande do Sul, e provocaram a perda de todas as vacinas do calendário de imunização que estavam armazenadas na unidade, inclusive às de combate ao novo coronavírus.

A estimativa da prefeitura é de que o furto tenha provocado um prejuízo de cerca de R$ 30 mil, entre vacinas e insulinas injetáveis. 

Leia também:

O furto foi notado por profissionais da UBS somente na manhã desta segunda-feira (29). Essa foi a segunda vez que a unidade de saúde foi alvo de furtos em menos de sete dias. Na semana passada, segundo relatos da Prefeitura de Ponta Grossa, um aparelho de ar condicionado foi furtado.

"Na terça-feira passada já tivemos a infelicidade de chegar no trabalho e terem levado o ar condicionado e agora isso, acreditamos que fizeram no final de semana, após encerramos a campanha de vacinação. A população precisa entender que o principal prejudicado em ações como esta é a própria comunidade, que fica com o atendimento incompleto", desabafa a enfermeira Paula de Freitas, funcionária da unidade.

O Executivo municipal informou que, a princípio, a UBS terá vacinação contra a Covid normalmente nesta segunda-feira, e que a equipe do Departamento de Imunização "está trabalhando para que a ação não tenha que ser cancelada".

Ministério da Saúde libera aplicação de vacinas reservadas para 2ª dose

O Ministério da Saúde anunciou, neste domingo, a liberação das vacinas reservadas para segunda dose. Se quiserem, os estados podem aplicar agora esses imunizantes, segundo o governo federal. A justificativa é a aceleração da produção de doses pelos institutos.

Segundo nota, o ministério "autorizou o uso da totalidade de vacinas armazenadas pelos estados para a segunda aplicação para utilização imediata, ampliando assim o número de vacinados no Brasil".

SAO PAULO, BRAZIL - MARCH 15: A senior citizen receives the coronavirus vaccination shot at a vaccination post in the Santa Cecilia Basic Health Unit on March 15, 2021 in Sao Paulo, Brazil. The state of Sao Paulo started to immunize citizens aged between 75 and 76 years old. Health authorities announced they expect to vaccinate 420,000 people within this phase and should reach the milestone of 4 million vaccinated people today. Brazil has over 11.400,000 confirmed positive cases of coronavirus and has over 278,000 deaths. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
SAO PAULO, BRAZIL - MARCH 15: A senior citizen receives the coronavirus vaccination shot at a vaccination post in the Santa Cecilia Basic Health Unit on March 15, 2021 in Sao Paulo, Brazil. The state of Sao Paulo started to immunize citizens aged between 75 and 76 years old. Health authorities announced they expect to vaccinate 420,000 people within this phase and should reach the milestone of 4 million vaccinated people today. Brazil has over 11.400,000 confirmed positive cases of coronavirus and has over 278,000 deaths. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)

A recomendação vale para os imunizantes entregues neste final de semana, 5 milhões de doses do Butantan e da AstraZeneca, produzidas pela Fiocruz.

A assessoria do órgão informou que estão contempladas na liberação todas as vacinas reservadas pelos estados, inclusive as que haviam sido enviadas antes desse final de semana.

No sábado, um informe técnico havia liberado o uso das vacinas reservadas para as remessas entregues na última terça e neste sábado (etapas 8 e 9). Agora, o ministério liberou também as vacinas já enviadas anteriormente (etapas 5, 6 e 7).

A medida atende a um pedido feito pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), na sexta-feira, que solicitou ao governo federal a mudança nas regras de armazenamento de segunda dose no programa de vacinação contra a Covid-19.