Covid-19: mortes ocorreram em meio à "indiferença geral", diz cientista que orienta governo francês

Dois anos após o início da epidemia, a vida na França voltou praticamente ao normal. O boletim divulgado nesta sexta-feira (6) pela Santé Publique France, a agência de vigilância sanitária francesa, mostra que a circulação do vírus e as hospitalizações diminuíram e essa tendência deve se manter nas próximas semanas. O SARS-CoV-2, entretanto, ainda é responsável por cerca de 100 mortes diárias no país.

A Covid-19 ainda pode surpreender e o aparecimento de uma nova variante no país no outono europeu, a partir de setembro, não está excluída, alerta Jean-François Delfraissy, presidente do Conselho Científico francês, órgão criado pelo governo para orientar as decisões durante a epidemia. Em entrevista à rádio francesa France Info, ele lembrou "a indiferença" em relação às mortes provocadas pelo SARS-CoV-2 que ocorrem país desde o início da pandemia, em março de 2020.

"Não devemos nos esquecer: desde 15 dezembro de 2021 contabilizamos 24 mil mortes e, de uma certa forma, fomos indiferentes a isso. A epidemia não acabou e teremos uma nova variante no outono. A questão é qual será essa variante, como vamos lutar contra ela e quem deverá ser vacinado", disse, ressaltando as incertezas sobre a severidade da nova cepa, que também pode surpreender e chegar mais cedo, como aconteceu com a Delta, que se alastrou na França em junho de 2021, em pleno verão.

Epidemia não acabou, alerta Instituto Pasteur

Países escondem dados para justificar política

(RFI e AFP)


Leia mais

Leia também:
União Europeia pretende anunciar em breve fim da fase de emergência da Covid-19
"Não sabemos o que nos espera", diz diretor-geral da OMS sobre Covid-19
Novos estudos mostram importância de reforço da vacina mesmo para pessoas já contaminadas por Covid-19

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos