Covid-19: Niterói flexibiliza atividades a partir de segunda-feira

Lívia Neder e Giovanni Mourão
·2 minuto de leitura

NITERÓI — A partir de segunda-feira, diversas atividades e serviços serão flexibilizados em Niterói. O anúncio foi feito pelo prefeito Axel Grael em live na manhã desta quinta-feira: serão liberados o comércio de rua, shoppings, atividades físicas e coletivas ao ar livre, academias de ginástica e as três primeiras séries do ensino fundamental I.

O indicador síntese que mede a gravidade da Covid-19 em em Niterói caiu de 11 pontos na última segunda-feira para 10,5 pontos nesta quinta, segundo o prefeito. Se a cidade conseguir reduzir o índice para menos de 10, as regras de restrição evoluem do estágio Laranja (Atenção Máxima) para o Amarelo 2 (Alerta Máximo), que permite ainda mais flexibilizações.

— Comércio de rua, shoppings, centros comerciais, serviços, cafeterias, atividades físicas coletivas ao ar livre e academias de ginástica abrem a partir de segunda. Bancas de jornais e serviços de beleza, a partir de terça. Na educação, já tínhamos aberto a educação infantil. Voltam, nesta segunda, 1º, 2º e 3º ano do ensino fundamental; 4º e 5º retornam dia 26 de abril; e o ensino fundamental II, no dia 3 de maio. Turmas de ensino médio e superior só voltam com as aulas presenciais no Amarelo 2, assim como outras atividades educacionais. Clubes reabrem na quarta-feira, e teatros, cinemas, museus e similares, na próxima quinta — listou o prefeito.

Permanecem fechados, até o estágio Amarelo 2, restaurantes do tipo bufê, bares, quiosques e casas de festas. Já as casas noturnas só teê previsão de reabertura no Amarelo 1. Restaurantes à la carte e lanchonetes voltaram hoje e continuarão funcionando.

Durante a live, o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, deu detalhes sobre a situação na rede de saúde da cidade:

— A gente já observa redução em dois indicadores fundamentais: a redução nos atendimentos a pacientes com Covid, tanto nos hospitais privados como nos particulares; e, mais recentemente, a queda no número de pessoas que precisam de internações pela doença. Hoje, depois de semanas de alta, temos uma tendência de queda no número diário de internações.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)