Covid-19: Niterói inicia aplicação da terceira dose de reforço

Em três semanas, a cidade de Niterói viu a taxa de positividade dos testes rápidos de Covid-19, chamados de testes de antígeno, disparar de 4% para 20%. Com o surgimento da variante BQ.1, a Secretaria municipal de Saúde (SMS) iniciou a aplicação da quinta dose (terceira dose de reforço): para recebê-la, é preciso ser maior de 18 anos e ter recebido a última dose há mais de dez meses. Os dados são da SMS e comparam o período entre os dias 9 e 15 de outubro com o que vai de 30 de outubro a 5 de novembro.

Covid-19: Nova dose de reforço é mais eficaz contra variantes

Alerta: Taxa de positivos cresce 274% no Brasil em meio à baixa cobertura com terceira dose

A BQ.1, subvariante da Ômicron, é mais transmissível — embora tenha taxa de hospitalização e letalidade baixíssimas —, e está associada a um recente aumento de casos da doença nos Estados Unidos e na Europa. A subvariante foi sequenciada pela Fiocruz Amazônia no final de outubro.

Embora haja notável aumento de casos da doença, até o momento não houve registros de internações em unidades da rede municipal de saúde de Niterói ou de óbito durante o período analisado.

Para o secretário de estado de Saúde, Alexandre Chieppe, os números já são capazes de acender um sinal de alerta. O chefe da pasta estadual reforça a importância das doses de reforço para quem ainda não completou o esquema vacinal.

—Estamos observando um aumento do número de casos de Covid relacionados à variante Ômicron. Isso já acendeu nosso sinal de alerta. As pessoas que ainda não se vacinaram devem ir a um posto e completar o esquema. É uma medida fundamental para evitarmos a reentrada de outras variantes no estado do Rio e para proteger contra as formas mais graves da doença — destaca Chieppe.

Para frear o avanço da transmissão do vírus na cidade, a SMS voltou a recomendar o uso de máscaras pelos grupos de risco (idosos, gestantes e pessoas com comorbidade), em caso de qualquer sintoma gripal e em unidades de saúde, além de manter as mãos higienizadas.

A Universidade Federal Fluminense também publicou um informe técnico com orientações, entre as quais o uso de máscaras em ambientes fechados e atualização do esquema vacinal.

Outra medida tomada pela prefeitura foi iniciar a aplicação da quinta dose. O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, também alerta para a importância de manter a vacinação em dia e seguir as já citadas medidas de proteção.

— A imunização contra a Covid-19 é fundamental para a população. Seguimos monitorando o cenário da doença na cidade e reforçamos a necessidade de atenção às medidas sanitárias. Mantenha a vacinação atualizada e, em caso de sintomas, procure uma unidade de saúde para realização do teste — diz o secretário.

Vacinação Infantil

Apesar de a medida ter sido tomada apenas na última semana, a recomendação do Ministério da Saúde (MS) para início da aplicação da quinta dose foi enviada ao município há três meses. A prefeitura informou que não seguiu a recomendação, na época, devido à instabilidade e à baixa quantidade de doses enviadas pelo próprio Ministério da Saúde, impossibilitando o início da aplicação da quinta dose ainda no mês de agosto.

Esta semana, a Secretaria de Saúde de Niterói suspendeu a vacinação da primeira dose contra a Covid-19 das crianças de 3 e 4 anos. De acordo com o município, o Ministério da Saúde ainda não fez novos repasses da CoronaVac, único imunizante liberado pela Anvisa para aplicação neste público. Considerando a população a partir de 12 anos, apenas 26,4% receberam a segunda dose de reforço em Niterói. Quanto à população de 3 a 11 anos, a cobertura da primeira dose está em 62,4%; e da segunda dose, em 44,6%.

A SMS informa que a imunização será retomada para esse público-alvo assim que novas doses forem entregues. A Secretaria de Estado de Saúde, pasta que recebe os lotes do MS e repassa aos municípios, ainda não tem previsão de novas entregas da CoronaVac.

Apesar da falta da vacina, Niterói continua em repescagem contínua para a segunda dose de reforço de pessoas com 18 anos ou mais, com imunizantes de outras marcas. A terceira dose é destinada para adolescentes de 12 a 17 anos, com intervalo de quatro meses da segunda dose. O município ainda mantém vacinas para aplicação da primeira e segunda doses em crianças entre 5 a 11 anos, adolescentes de 12 a 17 anos e pessoas a partir de 18 anos.

Para receber a dose da vacina é necessário apresentar carteira de identidade, CPF e comprovante das doses anteriores. Para crianças e adolescentes, é preciso a presença do responsável legal.

SIGA O GLOBO BAIRROS NO TWITTER (OGLOBO_BAIRROS)