Covid-19: No Rio, média móvel de mortes cresce 152%; estado registra 108 vítimas e 2.118 novos casos

Arthur Leal
·2 minuto de leitura
Foto: Gabriel de Paiva em 18-11-2020 / Agência O Globo
Foto: Gabriel de Paiva em 18-11-2020 / Agência O Globo

O Estado do Rio registrou 108 mortes e 2.118 novos casos do novo coronavírus, nesta quinta-feira, e a média móvel de óbitos, na comparação com 14 dias atrás, teve um aumento de 152%, o que indica tendência de aumento no contágio da doença — pelo terceiro dia seguido — , por estar muito acima dos 15%. Ao todo, são 334.514 infectados e 21.806 vidas perdidas desde o início da pandemia, em março, em território fluminense.

Com os dados desta quinta-feira, a média móvel passa a ser de 102 mortes e 1.724 casos por dia. O aumento de 152% na média móvel de mortes, no comparativo com duas semanas atrás, é o maior observado desde o dia 19 de maio, há exatos seis meses, quando o RJ ainda encarava o auge da pandemia. O aumento na média móvel de casos também é expressivo, de 127%.

Nos dias 6, 8, 9 e 10 de novembro não houve atualização no número de mortes, de acordo com o governo, em função de um problema no sistema do Ministério da Saúde, já solucionado. No entanto, mesmo que os números tivessem sido preenchidos naquelas datas, seguindo a tendência diária daquele momento, haveria um aumento importante de qualquer maneira.

A análise dos dados foi feita a partir do levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.

A capital continua puxando os números de mortes e casos no estado. Em 24 horas, foram registrados 797 infectados e 51 vítimas da Covid-19. Ao todo, são 129.631 casos e 12.844 óbitos desde março na cidade do Rio.

Na rede municipal do Rio, o número leitos para casos mais graves aumentou, assim como o número de internados nestas vagas de UTI. De acordo com o último boletim, divulgado pela prefeitura, nos 271 leitos de UTI disponibilizados pelo município exclusivamente para casos de Covid-19, há 265 internados, uma taxa acima de 97% de ocupação. Nas enfermarias, são 320 leitos ocupados, dos 630 disponíveis (51%). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o número de leitos especializados na rede é maior do que a demanda por internações.

A taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS — que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais — no município, onde há 914 internados, sendo 437 em UTI, é de 83%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 61%.

Ainda segundo o município, não há fila de espera, pois há leitos para todos os pacientes inseridos no sistema de regulação. No entanto, em toda a rede SUS da Região Metropolitana 1 — que engloba a capital e municípios da Baixada Fluminense — 100 pessoas estão em processo de transferência para leitos de Covid-19. Deste total, 48 são para UTI.