Covid-19: No Rio, média móvel indica aumento no contágio pelo sexto dia; na capital, há fila por leitos de UTI, 90% ocupados

Arthur Leal
·3 minuto de leitura
Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — O estado do Rio registrou 19 mortes e 3.160 novos casos de coronavírus neste domingo, e segue com aumento na média móvel de óbitos pelo sexto dia seguido. Ao todo, já são 406.820 diagnósticos positivos e 24.473 vítimas da doença desde o início da pandemia, em março. Num dia em que as praias estiveram cheias e cariocas e turistas ignoraram completamente as regras de prevenção à Covid-19, a situação dos leitos exclusivos para a doença, principalmente na capital, mostra a proporção do avanço do vírus: na rede SUS municipal, 90% das vagas de UTI estão cheias, enquanto pacientes aguardam por transferências.

Imunização: Paes anuncia acordo com SP para Rio ter vacina contra Covid-19 produzida pelo Butantan

Com os dados deste domingo, a média móvel passa a ser de 2.527 casos e 107 mortes por dia. O aumento de 34% na média móvel de vítimas representa uma tendência de aumento no contágio da doença em território fluminense, que já se sustenta por seis dias.

A análise dos dados foi feita a partir do levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.

Capital tem 90% de ocupação em leitos de UTI e fila por vagas

A pressão continua grande por leitos, principalmente na capital. De acordo com a prefeitura, há 90% de ocupação (612 internados) nos leitos de UTI da rede SUS municipal — que inclui unidades municipais, estaduais e federais —, e 79% nas enfermarias. Ao todo, são 1.445 pacientes. Levando em consideração apenas a rede de unidades municipais, há 97% de ocupação nas UTIs, com 285 pacientes internados nas 293 vagas. Outros 402 estão em enfermarias.

Ao todo, 273 pessoas com Covid-19 estão na fila, aguardando por transferência para leitos: 175, casos mais graves, para vagas de terapia intensiva.

Pandemia ignorada

No último domingo da primavera, o calor forte, já com cara de verão, levou cariocas e turistas para as praias do Rio, mesmo com a pandemia da Covid-19 seguindo em alta na cidade. Segundo o sistema Alerta Rio, a máxima prevista para hoje é de 38 graus, e não há previsão de chuva.

No Leblon e em Ipanema, as areias ficaram cheias, com pouco espaço entre os guarda-sóis e grupos que jogavam partidas de vôlei, altinha e beach tenis.

Já no calçadão, o movimento era mais tímido do que em outros fins de semana, mas ainda assim, com um número considerável de frequentadores pedalando ou caminhando — muitos destes sem máscara, item imprescindível na prevenção ao novo coronavírus.

Em toda orla da Zona Sul havia também poucos carros estacionados. No início de dezembro, a prefeitura do Rio voltou a proibir o estacionamento na beira da praia nos fins de semana e feriados, assim como o fechamento de ruas que eram usadas como áreas de lazer aos domingos, como a Avenida Atlântica.

Os municípios com mais mortes pela Covid-19 são:

Rio de Janeiro - 14.293São Gonçalo - 954Duque de Caxias - 885Nova Iguaçu - 818Niterói - 664São João de Meriti - 572Campos dos Goytacazes - 520Belford Roxo - 367Petrópolis - 312Magé - 286

As cidades com mais casos no estado são:

Rio de Janeiro - 156.583Niterói - 21.799São Gonçalo - 17.692Duque de Caxias - 12.791Belford Roxo - 12.266Macaé - 12.138Teresópolis - 11.362Volta Redonda - 11.195Campos dos Goytacazes - 11.063Nova Iguaçu - 9.326