Covid-19: nova variante do vírus é identificada no Rio de Janeiro

·2 minuto de leitura
Nova variante foi identificada no Rio de Janeiro - Foto: Getty Images
Nova variante foi identificada no Rio de Janeiro - Foto: Getty Images
  • Estudo identificou nova variante do coronavírus no Rio de Janeiro

  • Ela foi localizada principalmente na região norte do estado

  • Ainda não se sabe se ela é mais transmissível ou letal

Uma nova variante do coronavírus foi identificada no Rio de Janeiro. A informação foi anunciada pelo governo na tarde desta quinta-feira, após a realização de um estudo pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-RJ).

A investigação de possíveis modificações do SARS-CoV-2 identificou uma nova cepa, batizada de P.1.2 por se tratar de uma mutação da P1, encontrada inicialmente em Manaus. Ela foi localizada em amostras principalmente na região Norte, mas também nas áreas Metropolitana, Centro e Baixada Litorânea do Rio.

Leia também

Subsecretária de Vigilância em Saúde da SES-RJ e idealizadora da pesquisa, Cláudia Mello explicou que “até o momento, não se pode avaliar se (a variante) é mais transmissível e/ou letal”. “A partir deste resultado, o monitoramento segue aprofundando os efeitos que poderão ser apresentados, ou seja, o comportamento epidemiológico dela”, declarou.

De acordo com o estudo, a P.1.2 foi identificada em 5,85% das 376 amostras submetidas à segunda etapa do sequenciamento realizado pela SES-RJ.

Estudos têm sido realizados para descobertas de novas cepas (Xinhua/Rizek Abdeljawad via Getty Images)
Estudos têm sido realizados para descobertas de novas cepas (Xinhua/Rizek Abdeljawad via Getty Images)

Outra linhagem identificada inicialmente no Rio, a P2 foi localizada em 0,53% das amostras analisadas. Já a B.1.1.7, encontrada pela primeira vez no Reino Unido, estava presente em 2,13%.

“O sequenciamento é muito importante para verificar a incidência das novas cepas na população fluminense, e desta forma, antecipar possíveis cenários, a fim de minimizar os efeitos da pandemia em nosso estado”, considerou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chiepe.

Outros estudos

Ainda segundo o Governo do Rio, há outros dois sequenciamentos com amostras do estado sendo realizados em paralelo pela Fiocruz e o Ministério da Saúde. Juntos, já analisaram 708 amostras, apresentando prevalência da variante P1.