Covid-19: OMS atualiza recomendações de isolamento, uso de máscaras e remédios

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou nesta sexta-feira novas recomendações sobre a Covid-19 em relação ao isolamento social, uso de máscaras e os remédios usados contra a doença. Segundo a instituição, o isolamento social, primordial para evitar o avanço da doença durante as ondas em todo o mundo foi reduzido.

Passa o dia sentado? Adote esse hábito na rotina para reduzir o impacto na saúde

Covid: estudo com autópsias encontra vírus no cérebro sete meses após a infecção

Anteriormente, a organização recomendava que, sem realizar novos testes após a confirmação da doença, uma pessoa com Covid deveria ficar dez dias isolada a partir do início dos sintomas, com a adição de no mínimo outros três dias a partir do fim dos sintomas. Agora, a OMS retirou esses três dias adicionais e disse que pessoas com a doença assintomáticos podem ficar de quarentena por cinco dias, e não mais dez.

É importante ressaltar que para realizar as alterações, os cientistas se basearam em evidências. Por exemplo, eles analisaram que o risco de alguém assintomático transmitir o vírus é menor comparado a quem tem sintomas e, por isso, o tempo de isolamento poderia ser reduzido.

Entretanto, para aqueles que tem a doença e apresentem sintomas, é importante que fiquem os 10 dias de quarentena, pois, segundo os cientistas as pessoas liberadas no décimo dia contam com um risco três vezes menor de infectar outras pessoas do que aquelas com o fim do isolamento a partir do quinto dia.

Isolamento no Brasil

No Brasil, em janeiro de 2022, o Ministério da Saúde modificou o esquema de isolamento: para casos leves e moderados, o paciente pode retornar do isolamento a partir do sétimo dia sem apresentar febre ou sintomas respiratórios nas últimas 24 horas.

Agora se fizer um teste no quinto dia a partir dos sintomas e o resultado for negativo, além de não sentir mais sintomas nas últimas 24 horas, o paciente também já pode sair do isolamento. Se os sintomas persistirem, é necessário completar dez dias desde o início deles.

Sol nas partes íntimas: moda entre influenciadoras oferece risco de queimaduras e câncer de pele, entenda

A Organização ainda atualizou as recomendações para as máscaras. Segundo o órgão, elas ainda devem fazer parte do dia-a-dia de pessoas expostas recentemente à doença, suspeitas pelo vírus e por indivíduos de grupo de risco, ou pessoas que estejam em situação de aglomeração, ambientes fechados e sem muita ventilação.

A atualização é que antigamente, a OMS se baseava na situação epidemiológica local da doença. Ou seja, se um país estava ou não com incidência alta de casos e mortes, por exemplo. Agora, com a nova atualização, a organização vai se basear no cenário global da Covid-19 para determinar as indicações do uso de máscaras.

Remédio contra a doença

A Organização também atualizou as recomendações para o Paxlovid, antiviral fabricado pela Pfizer contra a doença. Os cientistas afirmaram que mulheres grávidas e lactantes com Covid leve ou moderada devem procurar e consultar seus médicos para indicação do remédio.

'Depression room': bagunça piora humor e pode ser sinal de crise na saúde mental; saiba como arrumar

No Brasil, o fármaco já está disponível nas redes públicas e privadas. Em setembro do ano passado, cerca de 50 mil doses do medicamento chegaram ao país e a Pfizer garante que até o final de janeiro, serão disponibilizadas mais unidades do medicamento.