Covid-19: Paes diz que crianças não precisarão de receita médica para se vacinar no Rio

·1 min de leitura

RIO — O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse pelo Twitter nesta sexta-feira que crianças de 5 a 11 anos não precisarão de receita médica para tomar a vacina contra a Covid-19 na cidade. A declaração é uma resposta ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que afirmou nesta quinta-feira que pretende liberar a imunização de crianças contra a Covid-19 no país apenas mediante indicação médica.

"Aqui não vai precisar de atestado para vacinar crianças não. Vejam o que diz o parágrafo primeiro do art 14 do Estatuto da Criança e do Adolescente!", escreveu o prefeito, exibindo em imagem um trecho do ECA.

Como destacou Paes, o artigo 14 do estatuto diz o seguinte: "O Sistema Único de Saúde (SUS) promoverá programas de assistência médica e odontológica para a prevenção das enfermidades que ordinariamente afetam a população infantil, e campanhas sanitárias para pais, educadores e alunos". O documento diz ainda que "é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias".

O posicionamento de Paes se alinha com o do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que não pretende cumprir a exigência de receita médica para vacinar crianças contra a Covid-19. Entre os gestores, o sentimento é de indignação diante da medida, a qual consideram "absurda".

Os secretários preparam uma reação ao tema, que deve sair em nota após se reunirem nesta sexta-feira. Já o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) avalia que não há necessidade da exigência e que estudam uma decisão, mas o foco é fazer as vacinas chegarem aos municípios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos