Covid-19: para conter 'fura-fila', SP vai monitorar médicos que fornecerem laudos para vacinação

·2 minuto de leitura
São Paulo vai monitorar laudos e receitas médicas para vacinação (AP Photo/Andre Penner)
São Paulo vai monitorar laudos e receitas médicas para vacinação (AP Photo/Andre Penner)
  • Secretaria Estadual de Saúde informou que vai monitorar os médicos que fornecerem laudos e receitas

  • A ideia é coibir a emissão de documentos falsos para benefício de pacientes, amigos e parentes

  • Órgão também criticou os profissionais que vêm adotando esta postura em meio à pandemia

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo vai monitorar os registros profissionais dos médicos que fornecerem laudos e receitas para vacinação da Covid-19. O objetivo é coibir a falsificação de documentos para imunização indevida de pessoas sem comorbidades.

"Dentro do sistema Vacivida, a gente criou um campo no qual é preenchido o CRM do médico que assina o laudo atestando a comorbidade. Com isso, a gente consegue monitorar. Se percebermos, por exemplo, 300 laudos com o mesmo CRM e ainda o mesmo código de doença, poderemos linkar esses registros e alertar o Conselho Regional de Medicina a olhar isso e coibir", declarou ao Estadão a coordenadora do Programa Estadual de Imunização São Paulo, Regiane de Paula.

Leia também

A própria Regiane explicou que as unidades de saúde não conseguem monitorar a veracidade dos laudos e a condição de saúde informada no documento do candidato a imunização. A monitoração chega para assumir esse papel e coibir a emissão de receitas e laudos falsos de médicos a pedidos de amigos ou familiares.

"Não tem como impedir a pessoa de se vacinar porque não é possível escanear esse laudo e checar antes a situação. Mas esse monitoramento vai permitir que a gente perceba situações estranhas", comentou a coordenadora.

Mais de 4 milhões de doses foram distribuídas na cidade (AP Photo/Andre Penner)
Mais de 4 milhões de doses foram distribuídas na cidade (AP Photo/Andre Penner)

Regiane também fez questão de criticar a atuação de médicos que têm emitido documentos falsos para benefício do paciente. "Esse médico que produz um laudo falso está tirando o direito de se vacinar de uma pessoa que está em maior risco. É uma questão de cidadania. Em um momento em que ainda não temos vacina para todos, precisamos colocá-la no braço de quem mais precisa."

São Paulo ultrapassou 4 milhões de doses aplicadas

A Secretaria Municipal da Saúde da capital paulista afirmou no sábado, dia em que abriu mais de 1.000 postos de vacinação, que a cidade de São Paulo ultrapassou a marca de 4 milhões de doses de vacina aplicadas contra o novo coronavírus.

Além da imunização contra a Covid-19, o Dia D de vacinação também teve postos abertos para a imunização contra a gripe.

Segundo a plataforma VaciVida, da gestão João Doria (PSDB), 4.120.491 de doses haviam sido aplicadas até a noite de sábado na cidade, sendo 2.682.797 vacinados com a primeira dose e outras 1.437.694 com o reforço.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos