Covid-19: 'Passaporte da vacina' tem ampla adesão no primeiro dia, mas pegou muitos de surpresa

·4 minuto de leitura

No primeiro dia de vigência do chamado "passaporte da vacina" na cidade do Rio de Janeiro, alguns dos ambientes contemplados pela determinação da prefeitura amanheceram lotados como sempre — com a diferença de que, agora, quem não se vacinou não entra. O cenário de ampla adesão à medida se evidenciou, por exemplo, nas academias, que apresentaram movimentação intensa nesta quarta-feira de sol e calor.

Antes de gastar aquelas duas horinhas diárias com a própria saúde, Denise Ribeiro tirou uns segundos para cuidar da saúde coletiva. No balcão da academia que frequenta, em Copacabana, na Zona Sul, a agente de viagens teve de apresentar o comprovante da segunda dose da vacina contra a Covid-19, recebida na sexta-feira. No caso dela, que tem 50 anos, a comprovação da segunda injeção só será necessária a partir desta quinta-feira. Mas ela quis mostrar já hoje que estava em dia com sua parcela de contribuição contra o coronavírus.

— Acho ótimo o que está acontecendo. Com a pandemia, é uma forma de prevenir a disseminação do vírus. Precisamos garantir que todos estão vacinados. Trabalho com viagens, um dos setores mais afetados pela pandemia, e posso dizer que a vacina é nossa maior esperança — afirma. — Me sinto muito mais segura, pois tenho criança e idoso em casa.

Esta é também a opinião do barbeiro Marcelo Elmescany Souto, de 42 anos, que no entanto foi pego de surpresa com o início da exigência, ao chegar à academia. Como ele, vários alunos foram barrados nas catracas da Smartfit da Avenida Nossa Senhora de Copacabana na manhã desta quarta-feira. Pelos celulares, todos corriam para baixar o aplicativo ConecteSUS ou para pedir a parentes uma foto da caderneta de vacinação que ficou em casa. Durante a visita da reportagem ao estabelecimento, que durou cerca de uma hora, nenhum dos barrados, contudo, se manifestou contrariamente à medida.

— Acho que é válido — diz Souto. — Muito importante estar com a vacina. Todo mundo está se vacinando. Sem vacina, não tem como malhar. Sempre vai ter gente que vai polemizar. Mas, se tem que fazer, tem que fazer.

A medida surpreendeu especialmente os turistas. O funcionário público Eugênio da Silva, de 66 anos, veio de viagem de Santa Catarina, onde tomou ambas as doses da vacina. Embora apoiasse a iniciativa do passaporte, ele lamentou ter de ficar barrado na porta da academia por não ter conseguido instalar o aplicativo ConecteSUS na manhã desta quarta-feira. O mesmo problema foi relatado por outros alunos.

— É uma iniciativa muito boa para todo mundo. Protege todo mundo. Só é uma pena que o aplicativo não esteja funcionando. Precisamos malhar, manter a atividade — afirmou.

A equipe da academia de ginástica New Corpore, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, cadastra o "passaporte da vacina" de seus alunos a partir da apresentação do cartão de vacinação. Na recepção o documento é incluído no sistema, assim, é necessário apresentá-lo uma única vez, explica a gerente, Bárbara Vanessa Ferraz:

— O aluno chega na academia, apresenta o cartão de vacinação, a recepcionista escaneia esse documento, faz o lançamento dessa documentação no cadastro pessoal do aluno. Feito isso, a gente coloca uma mensagem na tela de acesso dele, em que toda vez que ele coloca a digital para acessar a academia vai estar escrito a mensagem "cartão de vacina ok". Assim a gente não precisa ficar pedindo novamente essa documentação.

Certificado digital: Saiba como tirar o certificado de vacinação da Covid-19

Para a aluna Rosilane da Silva Vicente, a exigência de comprovar a vacinação traz uma sensação de segurança.

— A vacinação é para nos deixar imune dessa doença que acabou com tantas vidas e acabou com tanta família, e a apresentação do cartão na academia é interessante porque ela consegue acompanhar as pessoas que realmente estão se vacinando, ou não, para poder não chegar aqui desprotegidas ou até contagiar outras pessoas que estão aqui — destacou.

O aluno Genilson Monteiro, que também apresentou seu cartão com registro da dose contra a Covid-19, completou:

— A pessoa está se cuidando, né? Está tomando a responsabilidade da vacinação e cumprindo as regulamentações da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Vacina com esperança: Além de doses contra a Covid-19, técnica de enfermagem oferece gentileza com mensagens

De acordo com a determinação da Prefeitura do Rio, o comprovante passa a ser exigido em:

A apresentação dos documentos pode acabar criando uma fila de espera, que é de responsabilidade dos espaços evitar aglomerações e conferir, antes da entrada de cada pessoa em suas dependências, mediante apresentação de comprovante vacinal juntamente com documento de identidade com foto.

A designer Vanessa Moreira, de 43 anos, surpreendeu-se com uma longa fila na entrada de filial da academia Bodytech na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, quando levava o filho para aula de ginástica e natação na manhã desta quarta-feira. Os adultos estavam tendo que se cadastrar com um comprovante de vacinação contra a Covid-19, o que retardou o seu ingresso no local em cerca de 15 minutos.

— Demorou um pouco, mas eu acho importante ter esse controle, pela segurança de todos e pelo incentivo à vacinação. Aos poucos, os estabelecimentos que devem exigir o comprovante vão ficando mais ágeis no processo, e tudo vai andar mais naturalmente — disse ela.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos