Covid-19: pelo terceiro dia consecutivo, média de casos apresenta tendência de alta

O Brasil registrou, neste sábado, 11 mortes por Covid-19, elevando para 688.143 o total de vidas perdidas no país para o coronavírus. Já a média móvel foi de 68 óbitos por dia. O número registrado é 67% maior que cálculo de duas semanas atrás, o que demonstra tendência de alta. Trata-se do quarto dia consecutivo em que as mortes (em médias móveis) estão indicando para crescimento de registros.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

O país também registrou 901 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 34.865.218 infectados pelo coronavírus desde o começo da pandemia. A média móvel foi de 5.186 diagnósticos positivos. O número é 31% maior que o cálculo de 14 dias atrás, o que demonstra tendência de alta. Trata-se do terceiro dia consecutivo em que as médias apontam para uma tendência de crescimento.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Vacinação

Com o avanço da vacinação, diversos estados vêm deixando de divulgar dados sobre a aplicação de vacinas nos finais de semana e feriados, tornando os dados imprecisos. Por esse motivo, o consórcio de veículos de imprensa passa a divulgar, nestes dias, apenas casos e mortes provocados pela Covid-19. Os números represados virão nos dias seguintes, geralmente, segundas e terças-feiras.